29 setembro 2006

Multi-tasking

Tava eu no dentista. Desta vez a cadeira não ardeu (errr... é uma história antiga, procurem nos arquivos se estiverem p'raí virados). Tou de boca aberta, o dentista a esburacar-me um dente e eis senão quando... toca o telemóvel. E eu não tenho mais nada: tiro o telemóvel do bolso, vejo quem é, rejeito a chamada (sim, obviamente que não ia atender, duh! Ia dizer o quê? "aaaaaahhhhh beeeeeeeghhhhhhh aaaaaaaahhhhuuuu"?), escrevo um sms a dizer "dentista" e volto a guardar o telemóvel. Isto sim, é eficiência!

O Sol e o Expresso

O Sol e o Expresso já andam a chatear.

Táva a malta descansada, habituada a comprar o Expresso ao fim de semana e de repente aparece um segundo galo para o mesmo poleiro e baralha as contas ao pessoal! O Expresso até já oferece DVDs (e bons!) e agora vai começar a sair, pasme-se, a Bíblia, juntamente com o Expresso (mas esta paga-se à parte, que os católicos têm de se despojar de toda a riqueza se querem a salvação eterna).

Andam a publicitar as suas tiragens record (mais de 200 mil exemplares cada um), e cada um deles diz que está a ganhar a guerra. Só não dizem, claro, qual a percentagem desses 200 mil exemplares que foi vendida e qual a percentagem que ficou a ganhar pó nos quiosques, mas isso já é assunto para outro dia.

O Sol diz que "é a forma mais clara de iluminar", mostrando as suas garras de pretendente ao trono do Expresso. O Expresso usa anúncios na TV com um gajo que tem a voz muito parecida que o dos anúncios do Pingo Doce (é o mesmo gajo? parece, mas não tenho a certeza) já a puxar a brasa à sua sardinha e a dar-se ares de "sítio do costume".

Ainda por cima, para complicar mais as coisas, há um filme chamado Sol da Meia Noite e há outro chamado Expresso da Meia Noite. Claro está que quem se lixa é o pobre leitor que no meio de tanta confusão já não distingue um do outro (se calhar o facto de estarem no Sol vários antigos funcionários do Expresso também ajuda...).

E quem ganha com isto? O Santana Lopes. É que da próxima vez que o Expresso publicar qualquer coisa mazinha sobre o homem duplicam as probabilidades de as pessoas não lerem a notícia, apenas porque compraram o Sol.

(e não, não vou fazer a piada acerca do volume dos jornais; toda a gente sabe que um Expresso dos novos mais um Sol gastam menos papel que um Expresso dos antigos, é escusado)

Ainda a mini-maratona

E andei eu a queixar-me de tar todo dorido.

Homem que é homem faz corridas a sério, não se limita a corridinhas abichanadas de 8km. E se acham que não é bem o vosso género, não se metam com mariquices. Há mais corridas à gajo! Para o ano faço uma destas. Alguém quer vir? ;)

Links retirados sem licença nem vergonha daqui.

Irmãos separados à nascença

Já toda a gente ouviu histórias sobre irmãos separados à nascença. Por uma razão ou por outra dois irmãos vão para famílias separadas e nalguns casos nada sabem sobre a existência do outro. Toda a gente se lembra do caso do Carlos da Maia e da Maria Eduarda, nos Maias, de certeza...

Pois bem, de vez em quando, quando os astros se conjungam, é possível juntar um destes pares, para felicidade geral (ou não).

A história que vos vou contar é muito triste. É a história de dois irmãos que, enquanto crianças, sofreram um acidente terrível: um deles foi atropelado por um camião, e o outro não. No hospital foram trocados e viveram vidas separadas a partir daí. Não se conhecem e nada sabem sobre o seu parentesco. Mas a equipa de investigadores do Ó faxavor! descobriu-os e pretende juntá-los novamente.

Um dos irmãos da história é o Keanu Reeves. É verdade, o Keanu Reeves tem um irmão (e não é o Christopher Reeve). Há muitos, muitos anos, o irmão foi atropelado por um camião e foi parar ao hospital, todo desfigurado. Passou anos em cirurgia de reconstituição e conseguiram deixá-lo com uma cara humana, mas feia. O pobre moço foi abandonado pela família que terá dito qualquer coisas como "Um filho feio? Eu não quero um filho feio! Se tivesse ficado um vegetal ainda vá, agora feio é que não!". E o petiz foi assim abandonado no hospital até encontrar uma família que o acolhesse. Os anos passaram e o bebé feio tornou-se um homem... feio. E como não tinha sorte nenhuma com as gajas pensou que o melhor era começar a jogar à bola.

Os dois irmãos nada sabem um sobre o outro. E por isso, aqui, em primeira mão, a revelação da identidade do irmão do Keanu Reeves. Estão prontos para o choque? Cuidado, o irmão do Keanu Reeves sofreu um acidente violento e ficou todo desfeito. A medicina há umas décadas atrás não era tão avançada, sobretudo a cirurgia plástica. Têm havido desenvolvimentos recentes, mas ainda não há milagres.

Este é o aspecto do Keanu Reeves, o irmão que não foi atropelado por um camião:


E este é o seu irmão, perdido há muito:


Quando estavam a escolher o elenco do Matrix pensaram no Paulo Bento para protagonista, porque era mais barato, mas depois não se percebia nada do que ele dizia.

28 setembro 2006

Ó minha amiga!

Parece que a tua amiga (antes de clicarem no link leiam o parágrafo seguinte; depois não digam que não avisei!) está de volta, de pedra e cal, às suas lides bloguísticas, depois de um Verão em que quase desapareceu de circulação.

Tua amiga, minha amiga, amiga de toda a gente, o que não admira, tendo em conta a profissão que tem. A tua amiga é, nas suas palavras, "acompanhante (ou call girl, ou escort girl, ou puta, como preferirem)"; por isso o blog tem linguagem pouco recomendável a gente sensível, conservadora ou preconceituosa e muito recomendável para os restantes.

E voltou também a comentar o Ó faxavor!, o que já não acontecia há uns bons meses (desde Abril, p'raí!). Seja bem-vinda de volta! Dei pela falta dos eloquentes comentários "Grrrrrrrrrr" sempre que eu dizia mal do Norte ou das gentes do Norte (até pus posts a dizer mal do Porto de propósito só a ver se a minha amiga ainda frequentava o tasco); imaginei que a minha amiga estivesse ocupada e preferi não perguntar com o quê (sou um moço de trato delicado e fico chocado facilmente...).


Sim, sim, o link é só a ver se ela também põe um link para o Ó faxavor no blog dela. Autores de blogs desconhecidos com ilusões de grandeza recorrem a todos os truques sujos para aumentar o número de visitas e obter publicidade gratuita. Algum problema? Óbiste, Maria? Faxavor de linkar o Ó faxavor! ;)

Imposto sobre a ignorância

Esclarecimento ao leitor que apareceu no Ó faxavor! após pesquisar Imposto sobre a ignorância no Google: não, meu caro, ainda não foi inventado. Mas é pena

Ainda o Gil Vicente

Depois de toda a confusão para inscrever o Mateus, do recurso aos tribunais, do processo disciplinar, da despromoção, das providências cautelares, do interesse público e das faltas de comparência do Gil Vicente aos jogos da II Liga, eis senão quando: 14 jogadores do Gil Vicente, incluindo o Mateus, avançam com um pedido de rescisão de contrato por salários em atraso.

Ó Xô Prejidente: atão meteu-se nesta confusão toda por causa do Mateus e agora o homem bate com a porta porque não lhe paga??? É preciso ser-se muito anjinho! Ou tava à espera que pagassem ao clube para desistir da queixa e com isso saldar as dívidas do clube? Hmmmm....

Meanwhile... o Gil Vicente já leva 3 faltas de comparência na II Liga; como parece que no próximo fim de semana levam a quarta e são desqualificados, por isso vamos deixar de nos preocupar com o caso. Claro que a malta de Barcelos é que se lixa. Já perderam a maternidade, agora perdem o clube. Só falta porem uma lixeira nuclear a céu aberto no concelho.

27 setembro 2006

Para ajudar à festa

Ainda por cima o Sporting não perdeu. Agora não há quem cale a lagartada... O que vale é que já só faltam 89 dias até ao Natal, isto passa-lhes rápido.

Prémio honorário Ó faxavor!

O Pedro mandou-me o link e eu lá fui ler. Por isso, atribuo a Stanislav Petrov o prémio honorário Ó faxavor! por ter evitado uma guerra nuclear em larga escala em 1983. O acontecimento fez ontem 23 anos.

O prémio é concedido nos seguinter termos:

Atribuido a Stanislav Petrov
pela sua contribuição ímpar para a existência do
"Ó faxavor! É uma imperial e um pires de tremoços"
(ah, sim! E por evitar a aniquilação total da humanidade também.)


Sendo ele russo não me parece que ele aprecie particularmente imperial e tremoços. Por isso, o prémio é um copo de vodka se alguma vez o encontrar.

Portugal e a Inglaterra

Fiquei muito triste ontem. O Benfica perdeu contra o Manchester, o Porto perdeu contra o Arsenal. Tipicamente até nos safamos contra equipas inglesas, mas ontem a coisa correu mal.

É pena. É pena por várias razões. A primeira, claro, é a desportiva: os pontos dão jeito. Também é pena porque quando o Benfica perde eu fico de trombas e isso não é nada bom para quem convive comigo. Arriscam-se a receber como resposta "Não tens nada a ver com isso, vai à merda!" a uma simples pergunta do género "Então, tudo bem?". Já perdi muitos amigos assim (por isso é que tenho um blog, ninguém me suporta ao vivo e a cores).

Mas acima de tudo é pena porque, tirando o futebol, nós não temos grande coisa. Somos um país pobre e o futebol é a única coisa que nos faz ter vontade de viver aqui.

Reparem bem:
  • o nosso PIB per capita é dos mais baixos da União Europeia; o PIB per capita inglês está entre os mais altos;
  • o nosso sistema de ensino tem falta de apoios e os resultados são desastrosos; o sistema de ensino inglês é famoso e imitado um pouco por todo o lado (só na zona de Lisboa há 3 ou 4 escolas inglesas);
  • o nosso sistema de segurança social está à beira da ruina; o dos ingleses não é muito melhor, mas têm bons planos de pensões;
  • o nosso país é desconhecido para a quase totalidade dos cidadãos do mundo (mesmo em Espanha); o Reino Unido dispensa apresentações;
  • em todas as competições desportivas ficamos contentes com uma "participação honrosa", mesmo que isso queira dizer ficar nos 20 primeiros, ou nos 100 primeiros, ou, às vezes, apenas ficar nos n primeiros, em que n é o número de participantes inscritos à partida. Nunca ganhámos grandes competições, tirando em hóquei em patins (ok, deve haver umas excepçõezitas); a Inglaterra (ou o Reino Unido) é dos grandes candidatos à vitória em qualquer modalidade; têm atletas de topo em todas as modalidades; mesmo no hóquei, em que agora levam cabazadas de meia noite, foram eles os primeiros a ganhar (ganharam os primeiros 2 campeonatos do mundo e os primeiros 12 campeonatos da europa);
  • nos Jogos Olímpicos temos 1, 2, às vezes 3 medalhas; o Reino Unido está sempre entre os mais medalhados;
  • Até agora houve 2 prémios Nobel ganhos por portugueses; acho que não é necessário contar os prémios Nobel ganhos por ingleses;
  • Nunca houve óscares ganhos por portugueses (o Sam Mendes é descendente de portugueses mas não é português); quanto a ingleses... pois, todos os anos há um ou outro que ganha ou pelo menos é nomeado;
  • o Luís de Camões é desconhecido para toda a gente que não fala português e também para quase toda a gente que fala português; o Shakespeare é conhecido por toda a gente e praticamente todas as suas peças já foram adaptadas ao cinema;
  • nenhuma das nossas universidades é famosa a nível mundial (não, não são. Na verdade só meia dúzia de pessoas é que conhece a TUA universidade, não te ponhas com manias!); quanto a Cambridge e Oxford... pois.
  • As nossas forças armadas têm como missão servir a comida aos contingentes internacionais, enquanto que os outros é que podem mandar tiros ao pessoal e rebentar com coisas; os ingleses têm mísseis nucleares, porta-aviões, submarinos e por aí fora; eles é que matam gente, nós servimos o cafézinho;
  • Portugal nunca aparece nas notícias nas estações de televisão internacionais e não tem nenhum órgão de comunicação social "de referência" à escala mundial; quanto aos ingleses, se não for um membro da família real apanhado com o membro no sítio errado ou alguém estranho apanhado com o membro num membro da família real, há-de ser um chá das 5 entre o Blair e o Bush, ou um atentado qualquer, mas estão sempre nas notícias. Já para não falar desse grande órgão de comunicação social de referência no mundo inteiro, o Sun (achavam mesmo que eu ia dizer BBC, não achavam?);
  • temos bom tempo e boas praias mas não temos guito para passar férias em lado nenhum; o Algarve tá sempre cheio de ingleses que, como têm um tempo de merda, vêm para cá; à conta deles é que o Algarve é caro!
  • Até no futebol, eles já ganharam um campeonato da Europa e outro do Mundo, e nós... não;
  • O Beckam ganha mais que o Figo e é notícia até quando corta o cabelo;
  • O nosso café, tão típico, é desconhecido por toda a gente; toda a gente fala no "café italiano" (ok, dêmos-lhes crédito, eles é que o inventaram); por outro lado, o "chá das 5" provavelmente mais popular na Índia que na própria Inglaterra, é sempre atribuído aos ingleses;
  • O Vinho do Porto está quase todo nas mãos dos ingleses;



(Para mais comparações motivadas por futebol, clica aqui)

Só me saem duques...

Ontem recebo uma chamada de alguém que só falava inglês (e com um sotaque meio esquisito...). Apresentou-se como sendo de uma empresa que trata de oportunidades de investimento de elevado rendimento e baixo risco (burlas, portanto). Fez umas quantas perguntas, a algumas delas eu respondi (por exemplo, qual o nosso site ou o número de fax, etc.). Entretanto fez-me perguntas do género: "Há quanto tempo trabalha na empresa?" ao que eu respondi "Não é da sua conta". Ah, mas é só por curiosidade. Tá bem, mas eu não respondo a esse tipo de perguntas. Bem, comecei a vera coisa meio esquisita e vai daí ela pergunta-me que tipo de empresa é: se é grande, se tem muitos funcionários, etc. Hmmm.... ok, lá vai disto: "Não vou responder a essa pergunta. Só lhe respondo com informações que sejam do domínio público". Automaticamente a resposta dela foi: "Obrigado pelo seu tempo, bom dia". E pronto.

Ora bem, afinal, o que foi aquilo? Já receberam daqueles e-mails de alguém que alega ter uns quantos milhões de dólares e vos oferece uns 10% só para lhes fazerem um favorzito, sem qualquer despesa? Pois, isto é do mesmo género. Tentam seleccionar pessoas com acesso fácil a dinheiro de tesouraria de uma empresa: o gerente de uma empresa pequena/familiar mas com bom volume de negócios. Seduzem-no com promessas de elevada rentabilidade sem qualquer tipo de custos. Se o tipo cai na esparrela, começa o jogo. Tudo corre bem, mas, às páginas tantas, é necessário efectuar um pagamento qualquer (coisa pouca, 50 dólares ou coisa assim), pela Western Union ou coisa no género. O pagamento é só para desbloquear a verba ou coisa no género. Depois, a coisa funciona como todas as fraudes: a vítima não quer admitir que foi burlada, por isso vai alimentando a esperança de recuperar o dinheiro gasto. E vai gastando cada vez mais. Sei de um caso em que o valor perdido chegou às dezenas de milhares de contos e levou a empresa à falência ou lá perto.

Este tipo de burlas chama-se "419 Scam", em honra da lei nigeriana que proibe este tipo de negócios. É (estima-se) a 3ª maior indústria do 9º maior país do mundo (em população). Recomenda-se uma leitura na diagonal do site da 419 Coalition, dedicada a combater este tipo de burlas.

Mas, acima de tudo, recomenda-se uma leitura atenta do site 419 eater, escrito por um gajo (aliás, neste momento há uma equipa de gente que se entretém desta forma) que responde a TODOS os contactos deste género, dá trela aos burlões, e exige provas de boa fé, no mínimo, originais. Tipicamente fotografias em poses específicas ou a segurar cartazes com determinados dizeres (frequentemente ofensivos e ridículos); às vezes, exige dinheiro como prova da boa fé do burlão (e, pasme-se, consegue!). Sim, estes tipos entretêm-se a vigarizar vigaristas! Acho particularmente poético que todas as secções do site incluam uma fotografia de um destes burlões a segurar um cartaz com o nome da secção..

26 setembro 2006

Benfica - Man. United

Perdemos 1-0. Grande merda! O ano passado ganhámos 2-1 e conseguimos o apuramento à conta disso. Desta vez perdemos.

Mas as diferenças entre o jogo do ano passado e o deste ano não se limitam ao resultado. Senão, vejam bem:
  • O ano passado o Cristiano Ronaldo não fez um peido. Este ano foi dos melhores em campo.
  • O ano passado o Rio Ferdinand tinha cabelo (e muito); este ano tá de cabelo rapado.
  • O ano passado o Rooney tinha acne. Este ano tem barba.

Basicamente tudo se conjugava para que perdêssemos o jogo. Aconteceu tudo ao contrário em relação ao ano passado...

Bem, vou digerir a azeda derrota e meditar um pouco na eterna questão que neste momento apoquenta tantos benfiquistas por esse mundo fora (6 milhões só em Portugal...), e um deles em particular, o Fernando Santos: Como se marca um golo?

Pode ser que esta meditação conjunta em larga escala permita ao nosso (por enquanto) treinador (as opiniões divergem) pôr a equipa a fazer aquilo que é suposto fazer num jogo de futebol: marcar. No campeonato vamos com 3 jogos e 2 golos e na Liga dos Campeões vamos com 2 jogos e 0 golos. Já mudavam o disco, não?

Para acabar a festa em beleza, o Porto também levou na pá, 2-0 em Londres. É claro que com a azia com que eu tou agora, tou-me completamente a cagar para o resultado do Porto (mas fico com pena).

Difícil de conciliar

Há coisas difíceis de conciliar. Por exemplo, ter as pernas (ainda) doridas (porra pá, pareço um velho!) e estar à rasquinha para mijar. É difícil encontrar o delicado equilíbrio necessário para levar as coisas a bom porto. Se corro ou ando muito depressa, doem-me as pernas. Se vou devagar, arrisco-me a chegar tarde demais...

(é impressionante o tipo de merdas com que um gajo se preocupa quando não tem filhos, não é? Se tivesse putos tava preocupado com sarampos e consultas de pediatra e amas; como não tenho, produzo estes dejectos mentais...)

Para entreter...

(enquanto não me lembro de nada de jeito para pôr aqui)

O Zidane tem, salvo erro, contrato com a Adidas. Portanto, o Materazzi tem contrato com a...?

Nike, obviamente! (cliquem no link para ver a nova campanha)

25 setembro 2006

Velhas notícias, novas gargalhadas...

Ao pesquisar fax error no Google (tava a tentar descobrir o que raio é um erro 405...), e o terceiro link chamou-me a atenção. Dizia "Fax error costs EC €100m court case". Segui o link e encontrei isto. A notícia pode ser de 2004, mas as gargalhadas que dei são de 2006, bem fresquinhas...

Mais uma ideia brilhante

(este post tem "Mais" no título porque pelos vistos já houve um post chamado "Uma ideia brilhante", mas sinceramente nem me lembro bem qual...)

Estive a ler (partes de) um artigo na Rolling Stone (obrigado pelo link Pedro) que levanta algumas questões sobre a honestidade das eleições presidenciais americanas de 2004 (a que re-elegeu o Bush). Depois de ler o artigo, tive uma ideia que, modéstia à parte, classifico de simplesmente genial!

As eleições são um momento importante da vida em democracia. O acto de votar é uma avaliação feita pelo povo das capacidades dos seus dirigentes e do trabalho por eles desenvolvido, bem como dos projectos dos restantes candidatos.

Só que as eleições têm sérios problemas. Para já, o povo não percebe nada de política. Além disso, o povo pode votar por razões idiotas. É muito difícil prever como é que uma determinada medida vai ser recebida; a medida pode ser justa e ser penalizada na eleição seguinte.

Mas o pior de tudo diz respeito aos grupos de pressão. É muito complicado prever quem vai ganhar, porque o povo é que escolhe os novos líderes (num país como os EUA, em que o lobbying é prática instituída isso significa que muitos esforços de suborno patrocínio têm de ser duplicados, o que implica gastos descecessários). Esta duplicação de esforços faz com que, por exemplo, uma petrolífera temnha de gastar o dobro do dinheiro para garantir uma determinada isenção fiscal, ficando sem orçamento para pressionar no sentido de eliminar a legislação ambiental no que diz respeito à poluição automóvel. A indústria automóvel e a investigação em novos e mais potentes motores fica, obviamente, penalizada, o que tem sérias implicações na economia.

Mais! Um candidato assume determinados compromissos. Ora, se ganhar, é fácil ignorar os compromissos feitos à população (a população não paga a campanha e quando se está no poder é mais ou menos simples dar o dito por não dito - lembram-se do não aumento de impostos antes das legislativas de 2005?). O complicado mesmo é ter de garantir aos patrocinadores da campanha o retorno dos avultados investimentos realizados. Um gajo arrisca-se a ter de assumir os mesmos compromissos na eleição seguinte sem receber nada, o que o deixa com grandes dificuldades para ganhar. Deve ser por isso que tão pouca gente se candidata a duas eleições de seguida (mesmo aqui, se bem me lembro o Cavaco Silva teve 1 eleição de jejum entre a derrota de 1996 e a eleição de 2006; agora imaginem o problema que é nos EUA, se cá já é assim...).

Então, pus-me a pensar em formas de resolver o problema... ora bem, quem é que percebe de política? Os políticos, naturalmente. Por isso, quem melhor que eles para decidir o que é melhor, politicamente, para o país? Não podemos confiar os destinos de uma nação (qualquer uma, quanto mais uma grande potência como os EUA) a uma população estúpida e ignorante que de política nada sabe. O melhor mesmo é confiarmos num conjunto de "eleitores iluminados" que garantam que o povo decide da forma que é melhor para si. Ou seja, continuamos a ter eleições, mas o resultado é determinado pelos votos de meia dúzia de pessoas, devidamente esclarecidas. Que tal? É uma espécie de sondagem à boca das urnas, mas com menos gente.

O ideal mesmo seria termos apenas um eleitor preferencial, e o resultado da eleição seria dado pelos votos desse eleitor. Mas isso seria uma ditadura e nós pretendemos uma democracia plena e livre, garantindo somente que o povo não estraga tudo.

E eu ainda me queixo...

Algumas das joias da coroa portuguesa foram roubadas há quatro anos em Haia e só agora é que vamos receber o seguro. E o Zé Povinho ainda tem a lata de se queixar quando uma seguradora demora uns mesitos a pagar uma reparação de um carro...

Eu hoje até postava, mas...

Mas até tenho os dedos doridos, custa um bocado...

(Sim, adoro armar-me em vítima. Algum problema?)

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiii!

Ai, dói-me tudo!

Mas porque raio é que eu decidi ir correr os 8km em vez de ficar a dormir? Onde é que eu tinha a cabeça? Até me dói estar deitado! Aaaaaaaai, que eu vou morrrrrrrrreeeeeeeeeeerrrrrrr...

Para a próxima, não esquecer: levar uns sapatos que sejam o meu número. E tentar ficar um bocado mais à frente! Tava na cauda do pelotão, os primeiros 20 minutos foram feitos em ziguezague a ultrapassar a malta que estava a andar. Isso sim, cansa imenso... ah, sim, e fumar menos antes da corrida!

Mas pronto, lá consegui chegar à meta (e tenho a respectiva medalha a comprovar), num tempo que não foi nada vergonhoso, contra todas as expectativas (1h 8m). Meio a andar, meio a correr, que fumar quase 2 maços por dia tem as suas consequências.

Em Março, lá estarei na Ponte 25 de Abril.

23 setembro 2006

Previsões furadas...

É por estas e por outras que nunca terei o sucesso da Maya. Ontem andava a dizer que o Benfica ganhava ao Paços de Ferreira e empatámos. E disse que o Beira-Mar ganhava 3-0 ao Porto com 3 golos do Jardel e afinal foi o Porto que ganhou 3-0 e o Jardel nem tocou na chicha. Bah! Raios partam o futebol! Só espero que as lagartixas percam outra vez, mas a julgar pelo ritmo do fim de semana não me parece.

1º aniversário

Faz hoje um ano que o Ó faxavor abriu as suas portas. Passaram-se 365 dias, 744 posts,mais de 20.000 visitantes. Posso dizer que o ano até correu bem. O número de visitantes tem vindo a aumentar de forma consistente (a julgar por este ritmo daqui a 400 anos tenho 1 milhão de visitantes por mês!)

Este era o grande acontecimento anunciado na contagem decrescente, para quem ainda não percebeu :P

Quanto à sondagem sobre o "grande acontecimento", teve 64 votos, o que é mais ou menos um record (tirando as sondagens esquisitas em que alguém votou 200 vezes... já agora, tá aí a sondagem especial de aniversário! Toca a votar...

22 setembro 2006

Actividade lúdica de fim de semana

Jovem, estás aborrecido este fim de semana e não tens nada que fazer? Não tens namorado(a), não tens amigos, não tens dinheiro, a tua família não gosta de ti e tens acne? Gostavas de fazer algo notável e aparecer nas notícias e que não envolvesse ser atropelado por um autocarro? Então, vem a Monsaraz levantar um menir! Que melhor forma de comemorar o equinócio?

Sim, levantar um menir! Porque não? Tens algo melhor para fazer? Mesmo? Não mintas!

(obrigado pela ideia, João Paulo!)

A notícia, no site da Radio Nova Antena.

Diálogos da bola...

Valentim Loureiro diz que Luís Filipe Vieira é um arrependido e avisa-o para não se meter com ele.

Luís Filipe Vieira responde e diz: "Ele não sabe com quem se está a meter".

Aguarda-se ansiosamente a resposta do Major. Fontes próximas dizem-nos que a resposta provável será um "Quantos são? Quantos são? Venham eles que eu não tenho medo de ninguém!".

Bola no fim de semana

E lá volta o campeonato. As meninas queixinhas vão jogar com o Desportivo das Aves; e o Paços de Ferreira que ganhou às mariquinhas com um golo marcado com a mão, vai receber o Benfica. O que eu espero mesmo é... que o Benfica ganhe 1-0 ao Paços de Ferreira com um golo marcado com a mão. Isso é que era lindo! :)

Prémio Especial "Ó faxavor!"

Pelo que escreveu no livro de reclamações (a primeira reclamação em seis meses se não contarmos com a minha própria reclamação) e pela excelente massagem ao ego do autor do blog, o Ó faxavor! atribui a João Paulo Costa o prémio especial Ó faxavor!.

Ando há seis meses a receber notificações "Your guestbook was signed" e quando lá vou ver as reclamações são sempre anúncios a sites de venda de medicamentos ou outros no género.

João: quando quiseres, pago-te uma imperial e um pires de tremoços. Se não bebes cerveja e/ou não comes tremoços, não te preocupes, mais fica para mim! ;)

Esclarecimento ao prémio

Até agora houve 3 pessoas que reclamaram o prémio. O visitante 20000, o 19998 e o 20001. Então, para esclarecer:

O visitante 20000 é atribuido pelo sitemeter. O número que está lá em baixo no contador é o número de visitas registadas até ao momento (o visitante 20 mil deverá ter visto 19999). Se fizerem "Refresh" à página, não conta uma nova visita. Conta na mesma visita. Só é uma nova visita ao fim de algum tempo (não sei bem quanto, mas penso que seja para cima de 1 hora), ou se for de outro computador. MAs o número de visitas é actualizado de cada vez que carregam uma página. Ou seja, aquele número não é o VOSSO número de visitante, é o número da ÚLTIMA visita registada.

O João, de Lisboa, disse que foi o visitante número 20.001. Não sei qual foi o teu número, mas penso que terás sido o 20.002 (o teu PC é um Linux a correr Firefox e ligas-te pela Netcabo? Se sim, és o 20.002.


O blog tem neste momento 20.003 visitantes e 39.304 páginas carregadas.

Para confirmar: cliquem no contador do sitemeter. Na página de estatísticas (que são públicas e podem ser consultadas livremente), escolham "By details" no menu do lado esquerdo. O visitante 20.000 (o David de Estrasburgo) ligou-se de u-strasbg.fr às 11:50:19. O visitante 19.998 (O André de Geneve) ligou-se de cern.ch às 11:22:19. E o visitante 20.001 (o Paulo de Portimão) ligou-se de telepac.pt às 12:04:52.

Podem clicar no visitante que querem para ver os detalhes e saber qual foi o número da visita.

Mas, como no Ó faxavor! tentamos agradar aos leitores (até porque são poucos), atribuo as seguintes menções honrosas:
  • Ao André, que se deu ao trabalho de mandar 2 jpg a mostrar que o sitemeter dizia 20.000 a "ver se eu caia", como ele próprio admitiu ;)
  • Ao Paulo Segurado, d'O Prevaricador que abdicou da jola e dos tremóis por ficar "fora-de-mão" e se contenta com publicidade ao seu blog.


Os vencedores das menções honrosas podem receber o seu prémio (1 mini) da próxima vez que estiverem em Lisboa. A imperial e os tremoços são apenas para o primeiro prémio. ;)

Tá encontrado o premiado!

E o visitante número 20.000 é..................

o David de Estrasburgo! (porra, mais um que está longe como o caraças!)
Parabéns ao premiado e quanto aos outros... olha, continuem a tentar! O próximo prémio será atribuido ao 25 mil ou ao 30 mil. Por isso, comecem a fazer subir o contador de visitas para os prémios serem mais frequentes! ;)

Os diminutivos

Os diminutivos são muito importantes. Expressam carinho, estima, amor. "Filipe" é um nome, mas "Filipinho" é um nome carinhoso; "Bife" é comida, mas "Bifinho" é comida boa, preparada com muito amor. Um "carro" é apenas um automóvel, mas um "carrinho" é o meu automóvel querido, que é quase uma extensão de mim. "Dar um beijo" é um comprimisso social, mas "dar um beijinho" é reservado a pessoas de quem gostamos. E por aí fora...

Ontem ouvi alguém dizer "Ó Joana, queres um pãozinho de leite?" e fiquei intrigado... era a mãe a perguntar à filha e eu vi nesta frase uma profunda negligência em relação ao rebento. Então a senhora usa o diminutivo no "pão de leite" e não usa no nome da filha? Se gostasse da filha devia ter dito "Ó Joaninha, queres um pão de leite?". Mas não, a senhora tem mais carinho pela comida que pela filha. Não admira que seja uma baleia que quase não cabe na porta do café. O facto de a mulher estar em Lisboa é suficiente para inclinar a Península Ibérica. É por isso que os Pirinéus são tão altos e a costa portuguesa está a desaparecer. Não é pela erosão, é porque se está a afundar.

Esta frase, aparentemente inocente deuxou-me escandalizado. E comecei a pensar no que significa, verdadeiramente, um diminutivo... por exemplo, considerem as seguintes frases: "Ó João, tás aqui tás a levar uma estaladinha na tromba" e "Ó Joãozinho, tás aqui tás a levar uma estalada na trombinha". A primeira é uma frase violenta mas que, por usar o diminutivo "estaladinha" não suscita revolta entre os presentes; trata-se de uma palmada pequena, quase sem força, sem intuito de magoar. Mas a verdade é que a mãe ou pai da criança denota afecto pelo acto de agredir o filho, mas por este não expressa qualquer ternura. A segunda, é completamente diferente! Apesar de ir levar uma estalada (que poderia ser entendido como mais violento que uma estaladinha), o crianço é tratado com muito amor, e além disso, tem uma "trombinha", que é completamente diferente de ter uma "tromba". Tromba têm os elefantes.

Pensem nisso, ó faxavor, que acho que está na altura de pormos os diminutivos nos sítios certos!

20 setembro 2006

Quase lá...

Informam-se os nossos estimados clientes que o freguês número 20000 tá quase a chegar. Acho que a ocasião merece um prémio Ó faxavor! Por isso, cá vai o anúncio:

O freguês número 20.000 será premiado com o prémio Ó faxavor! de Setembro de 2006. Este prémio, à semelhança dos outros prémios já atribuidos (e ainda por cobrar por falta de comparência dos premiados: um está a 200 km o outro a 10 mil), consiste em:
  • Uma espectacular e fresca IMPERIAL!
  • Um extraordinário e salgado PIRES DE TREMOÇOS!

O prémio será entregue como habitualmente: em cerimónia pública televisionada (que é como quem diz: num café que tenha televisão).

O que fazer para reclamar o prémio: gritar muito alto (principalmente se estiverem no emprego): "SOU EU, GANHEI!!! OH, A MINHA VIDA É MARAVILHOSA, VOU CONHECER ESSE DEUS GREGO, ESSE PERSONAGEM SUBLIME QUE EU VENERO COM TODAS AS FIBRAS DO MEU SER, QUE ESCREVE OS MARAVILHOSOS POSTS DO Ó FAXAVOR! É UMA IMPERIAL E UM PIRES DE TREMOÇOS QUE TANTO ALEGRAM O MEU DIA" (têm de gritar o nome do blog, senão não vale!); depois de terem alta do Miguel Bombarda, escrevam um comentário a este post a reclamar o prémio.

Nota: pode haver mais de uma pessoa a reclamar o prémio; nem todas as visitas são contabilizadas (a segunda visita da mesma pessoa não conta como uma nova visita); por isso, só porque estão a ver o "20000" lá em baixo na janela do Sitemeter, não quer dizer que sejam vocês! Em caso de empate, se não for possível determinar com exactidão o vencedor, poderão ser atribuídos mais prémios ou menções honrosas (que consistem num comentário lisonjeiro publicado pelo autor do blog).

Esta parte de reclamar o prémio com um comentário é importante: a visita fica registada com data e hora e os comentários também; assim posso determinar quem foi o premiado!

Se não percebes português e só vieste cá parar porque carregaste no botãozinho "Next Blog", ignora este post, se faz favor. O prémio não é para ti.

Se o visitante 20000 não reclamar o prémio este será atribuído ao visitante 20001. Se eu não conseguir atribuir o prémio a ninguém, olha, azar! Fica para mim.

Aviso

É só para avisar V. Exas. que o fulano que vai estar na plateia na próxima emissão do Um Contra Todos na RTP, no lugar 22, apesar de muito parecido comigo e até ter o mesmo nome que eu (e o mesmo número de BI, mas isso já são pormenores a mais), NÃO SOU EU!. Ok? Não sou eu! (a menos que me tenha enganado nas contas e não seja amanhã, seja só sexta feira. Mas acho que é amanhã)

Querem saber como correu? Então, vejam! :P
Errr... não, espera! Não vejam. Porque não sou eu.

(têm de prestar muita atenção, porque a plateia só é mostrada de raspão; close-ups só mesmo quando se erram perguntas muito fáceis e o apresentadeiro resolve meter-se com os concorrentes)

Por onde andei hoje?

Ocupado, muito ocupado. E sem ideias nenhumas também, às vezes acontece.

19 setembro 2006

Regresso às aulas

Já começou o ano lectivo. Eu trabalho ao pé da Escola Secundária António Arroio. Sempre que as aulas recomeçam dá-me a ideia de estar no meio das filmagens do Fame.

(para quem não conhece: a Secundária António Arroio é escola de artes habitada por seres algo... invulgares, caracterizados por roupas... algo originais, pedaços de metal incrustados em diversas partes do corpo e maquilhagens que lembram as pinturas de Lascaux)

O fim de semana

Depois do fim de semana é complicado voltar ao trabalho. A segunda-feira é sempre um dia um bocado azedo, a malta anda rabugenta, queria um dia extra de fim de semana.

E depois passam a semana toda à espera que seja sexta-feira outra vez.

Esta coisa de a malta trabalhar só uns dias dá nisto. Quebra-se o ritmo, depois é preciso recuperar, o que demora tempo. Além dos óbvios custos para a economia!

O fim de semana condiciona-nos 7 dias por semana. Por isso eu acho que não devia haver fins de semana! A malta passava a trabalhar 7 dias por semana e mais nada! Ah, tão cansados? Azar! Ah, querem descanso? Então, fiquem doentes e vão para casa (sem baixa, claro!). Ou caiam de exaustão. Além disso, a maior parte do consumo exacerbado ocorre ao fim de semana: come-se fora mais vezes, vai-se ao cinema, fazem-se compras,... se não houver fim de semana a malta poupa dinheiro e com assim já consegue pagar a prestação da casa!

E as férias é outra coisa que deve ser eliminada! 1 mês sem trabalhar, de papo para o ar na praia! Depois é óbvio que ninguém tem vontade de voltar ao trabalho, claro! E passam o resto do ano todo a pensar nas férias do ano seguinte! Assim, não dá!

Quanto muito, e porque não podemos trabalhar os dias todos de seguida sem parar, podemos chegar a um compromisso: trabalha-se 5 dias por semana e 11 meses por ano, mas só em média! Ou seja, por cada 5 pessoas que trabalham 7 dias por semana há 2 que não fazem nenhum. E por cada 11 pessoas que trabalham 12 meses por ano, há uma que passa o ano todo de férias! Assim a malta que trabalhar disfruta verdadeiramente do trabalho e não tem quebras de ritmo e a malta que não faz nada pode também disfrutar do facto de não fazer nada, conseguindo cada vez mais qualidade no aproveitamento do seu tempo (eu ia dizer tempo livre, mas dado o contexto é uma redundância).

Eu proponho-me como voluntário para essa missão... digamos, humanitária, de não fazer ponta de corno o ano todo.

Esta conversa toda sobre fim de semana pôs-me com vontade que seja sexta-feira outra vez. Tão a ver o que eu queria dizer? Que dia é hoje mesmo?

18 setembro 2006

Tá confirmado: sou mentalmente são!

Apesar de todos os indícios em contrário, eu afinal sou mesmo mentalmente são!

Vinha no carro e ouvi a notícia na radio que o PSD ia propor um ranking de escolas, para que os pais possam avaliar a qualidade de ensino nas várias escolas e assim escolher melhor a escola para os filhos.

Por princípio não discordo de uma medida destas, antes pelo contrário, embora ache que os critérios de avaliação possam ser difíceis de encontrar e poderá ser difícil pesar os vários factores a ter em conta (o número de alunos por turma, o nível socio-económico dos estudantes, as classificações nos exames nacionais, etc).

Depois ouvi no seguimento da notícia que BE e PCP iam rejeitar liminarmente a proposta do PSD. E eu pensei "bem, aqueles imbecis laranjas devem ter arranjado uns critérios jeitosos, lá isso devem". Ora, qual não é o meu espanto quando descubro que:
- O PCP acha que um ranking destes só serve para que as escolas privadas fiquem melhor classificadas que as escolas públicas e com isso aumentar o recurso ao ensino privado ou aumentar as pressões no sentido de privatizar o ensino.
- O BE diz que este ranking só serve para aumentar o fosso entre as escolas e que será difícil a uma escola desempenhar a sua função quando começa o ano rotulada de "má escola".

Não quero tar a pôr palavras na boca de ninguém, mas foi isso que eu ouvi.

Errrr.... então, vamos por partes!

O PCP não quer o ranking porque acha que as escolas privadas são melhores que as públicas. Não seria um resultado destes no ranking um bom indicador do caminho a seguir para melhorar a qualidade de ensino? E, antes de mais, eu duvido que houvesse uma tão grande clivagem público/privado. Que algumas das escolas de topo fossem privadas (ou mesmo quase todas, até concordo), mas que as públicas ficassem assim tão longe...

O BE acha que a avaliação é chata para os piores. Desculpe? Diga lá outra vez? Há bons e maus e em vez de descobrir quem são os bons e premiá-los devemos evitar distinções para evitar constrangimentos? Mas estão a brincar comigo ou quê?

Desde quando é que uma avaliação de qualidade, desde que bem feita é algo a evitar? É o mesmo tipo de argumento que faz com que as promoções na administração pública seja feita de forma automática ou por compradrios em vez de ser por mérito. Porque ninguém quer avaliar as pessoas de forma objectiva para não ferir susceptibilidades. É o mesmo tipo de argumento que faz com que as pessoas andem 5 anos na faculdade e só no final descobrem que a sua faculdade é uma merda. Porque nunca conseguiram ter uma classificação objectiva acerca da sua qualidade antes de escolher.

Mas, bora lá levar o argumento ao extremo, ok? Se avaliar é assim tão mau para os mal classificados, então eu exijo uma convocatória para a Selecção Nacional de Futebol! Sim, posso ser uma nódoa a jogar à bola, mas se o treinador me disser que sou uma merda e não tenho lugar na equipa está a ferir os meus sentimentos! E também exijo que não haja qualquer tipo de inspecção sanitária aos restaurantes! Afinal, ser multado ou ver o seu estabelecimento encerrado por falta de higiene é muito chato para os proprietários badalhocos e só serve para aumentar o fosso entre os restaurantes asseados e os viveiros de baratas!

Já há uns tempos tinha ouvido um argumento destes (das susceptibilidades) a ser usado contra a realização de eventos como as Olimpíadas Nacionais de Matemática. Só porque os miudos são bons a matemática isso não é razão para lhes dar prémios. Claro que não, que ideia mais disparatada!

Ecoponto final.

Ah!

A Sociedade Ponto Verde parece que defende que as embalagens de leite e outros líquidos alimentares deviam ser colocadas no Ecoponto Azul, mas a Quercus defende que sejam colocadas no ecoponto amarelo. E pelos vistos o Ministério do Ambiente dá-lhes razão. Ou seja: toca a ignorar as simpáticas indicações na parte lateral da embalagem e seguir as indicações do cubículo reciclador.

Jornais e revistas: ecoponto azul.
Embalagens, incluindo as embalagens de papel de líquidos alimentares: ecoponto amarelo.

Por esclarecer fica a questão das latas de atum! O anúncio com as criacinhas simpáticas que é todo contado em verso e tem um final feliz diz para as colocar no Ecoponto amarelo. Mas o raio do bicho tem lá uma sinalética de uma lata de atum com uma cruz por cima! Atão? E já agora, as garrafas de óleo vão para o Ecoponto ou não? O DN diz que sim; o Ecoponto diz que não.

Ecoponto e vírgula

As embalagens da Tetrapak (de leite, sumos, etc.) dizem para as colocar no Ecoponto azul (o tal do papel, cartão, etc.). Mas os Ecopontos de Lisboa (sim, os Ecopontos mudam de município para município, os de Lisboa são diferentes, por exemplo, dos da Amadora) dizem para colocar as embalagens de leite (tá lá o bonequinho e tudo!) no Ecoponto amarelo, o das embalagens.

Ou eu sou mais daltónico do que pensava ou algo nesta história não cheira bem (provavelmente o lixo indiferenciado que os meus vizinhos insistem em colocar ao monte em frente do ecoponto e que quase impede o acesso para cumprir o meu ecológico e esporádico dever de descarregar nos simpáticos caixotes os dejectos do meu consumismo desenfreado).

Lisboa

O destino turístico da semana é Lisboa. Recomenda-se vivamente uma visita a esta metrópole banhada pelo Pacífico e pelo Atlântico, de arquitectura gótica e reconstruída pelo Marquês de Pombal após a II Guerra Mundial.
Errrr... han?

A história já é velhinha e já circula há imenso tempo, mas nunca é demais recordar (obrigado Lena). Nota: tentei encontrar a notíca na referida revista mas não o encontrei. O artigo pode muito bem ser mito urbano. Ok, a seu favor está o facto de ter sido publicado numa revista portuguesa, mas, por outro lado, essa revista é a... Mulher Moderna. Se alguém puder confirmar (Sem ser por blogs ou mensagens recebidas por e-mail) ou refutar a notícia, deixem a vossa contribuiçãozinha na caixa de comentários.

O futebol do fim-de-semana

Não me apetece fazer do Ó faxavor um blog sobre futebol (para isso existem outros blogs, muito bons), mas não resisto a comentar o famigerado golo sofrido pelo Sporting: Ai, ai, ai, que o golo foi marcado com a mão, e a culpa é do sistema e somos sempre os mesmos desgraçados, os árbitros são corruptos e prejudicam sempre o Sporting. Eh pá, que meninas! Cresçam e parem lá de chorar que já metem impressão. Tá bem, o golo foi marcado com a mão. O árbitro não viu. E depois? O Liedson teve oportunidades praticamente de baliza aberta e não vem ninguém sugerir que foi subornado para falhar de propósito!

As duas coisas mais irritantes no mundo do futebol são:
  1. gente a queixar-se do árbitro quando não tem razão, a inventar desculpas para o mau jogo que fez.
  2. gente a queixar-se do árbitro quando tem razão, a inventar desculpas para o mau jogo que fez.


Se passassem mais tempo a explicar como conseguiram estar 90 minutos sem marcar um golo a uma equipa claramente inferior em vez de começarem a contabilizar os pontos merecidos e a comparar com os pontos efectivamente ganhos talvez conseguissem chegar a algum lado. Em vez de ficarem como marias queixinhas a choramingar que são umas vítimas do sistema e começassem a marcar golos nada disto acontecia. Por mim, tou-me nas tintas, se o Sporting perder os jogos todos e for parar à segunda divisão é para o lado que durmo melhor. Já no ténis há uma máxima: nunca começar um ponto a pensar no ponto anterior. E os poucos jogadores que conseguem dar a volta numa partida mesmo depois de decisões injustas dos árbitros são aqueles que pensam mais no ponto em disputa que no ponto que, just ou injustamente, acabaram de perder.

E já agora, alguma vez alguém viu um árbitro mudar uma decisão depois de ouvir os protestos irados dos jogadores? ENTÃO PARA QUE RAIO CONTINUAM A PROTESTAR? Depois ainda me querem convencer que lá porque são jogadores da bola não são necessariamente estúpidos...

Vamos lá a fazer o ponto da situação...

O Benfica ganhou, o Sporting perdeu. Sim, o país volta aos poucos à normalidade depois das férias de Verão.

16 setembro 2006

Um momento de solidariedade

Gostaria de aproveitar este momento para expressar a minha solidariedade para com o visitante 87.196.35.135 que chegou ao Ó faxavor após ter pesquisado "dores nos dentes todos" no Google. Desejo sinceramente as tuas melhoras e... olha, antes tu que eu!

15 setembro 2006

É nestas alturas que eu percebo que até sou saudável.

O Papa Bento XVI fez críticas ao recurso à violência como mecanismo de evangelização. Em concreto, citou um imperador bizantino que descrevia o Islão como uma religião que fazia uso da violência e do recurso "à espada" para espalhar a fé, como defendido pelo profeta Maomé. Os muçulmanos sentiram-se ofendidos por este, segundo eles, insulto ao Islão, por esta ofensa, por esta associação entre Maomé e violência. E manifestaram-no publicamente, irados,... queimando bonecos que simbolizavam o Papa e com ataques à bomba na Turquia contra igrejas ortodoxas. Acho muito bem! A melhor forma de provar que o Islão não é uma religião violenta é rebentar com toda a gente que disser que é e ameaçar de morte todos os que ousarem dizer que os muçulmanos são violentos.

Se alguém me acusar falsamente de ser terrorista eu estou no meu direito de lhe mandar um rocket ao focinho, o cabrão do preconceituoso!

Do outro lado do Altântico, George W. Bush, na sua luta contra o terrorismo, para defender a liberdade e a democracia, pediu ao Congresso para aprovar uma lei que permite julgamentos a suspeitos de associação terrorista sem dar conhecimento aos arguidos de provas contra si que possam ser confidenciais e com o recurso a "métodos musculados de interrogatório" (para quem não é bom entendedor: métodos de tortura). Também acho muito bem! Acho muito bem!! Esses selvagens querem minar o nosso estilo de vida. Os nossos direitos fundamentais: o direito à vida, o direito à presunção de inocência; o direito a um julgamento justo; o direito à integridade física; o princípio fundamental de que todos nascemos iguais em direitos e oportunidades. Há que ter pulso forte com quem atenta contra o nosso estilo de vida ocidental. E se for preciso, matemo-los a todos, antes que nos matem a nós.

Quem tentar negar o meu direito à vida cometendo ou planeando acções que me possam colocar em perigo merece um balázio nos cornos! Mas sem julgamento nem nada! É logo ali, execução sumária!!! Mas... nem é preciso que tenha feito alguma coisa! Basta que o tenha pensado! Mas que é isto? Cambada de terroristas todos! Fascistas!


Há que ser coerentes, meus amigos!

Se um clube é superior desportivamente, tem o direito de comprar todos os árbitros que for preciso para o provar em campo!

Se um atleta sabe que é mais forte que os restantes, quem lhe pode negar o recurso a esteróides para meter esses bardamerdas que têm a mania que são bons no seu devido lugar e perceberem quem manda?

Se um povo é perseguido há 4000 anos e é vítima de tantos genocídios há que eliminar as ameaças. Há que dizimar aldeias inteiras. Há que exterminar todos os povos que possam pôr em risco a sua sobrevivência! Homens, mulheres e crianças se for preciso! Há que evitar o genocídio a todo o custo.

Se eu sei que há criminosos na rua e a polícia não lhes faz nada, há que ir para a rua, apanhá-los e dar-lhes um enxerto de porrada ou limpar-lhes o sebo. A todos! Sem advogados, nem papéis, nem juizes, nem liberdades condicionais. Liberdade condicional só se for "deixo-te ir em liberdade na condição de conseguires safar-te de dois ou três tiros de caçadeira que te vou mandar à tromba à queima-roupa". Esses criminosos não têm direito à vida!

E, claro, a minha preferida: se um homem ama a sua mulher tem todo o direito de lho provar, nem que seja à base de porrada e mandá-la para os cuidados intensivos no hospital, por sentir ciúmes e achar que ela lhe põe os cornos, a grandessíssima vaca. É tudo por amor, por não conseguir suportar a ideia de ela o deixar...



25 de Abril sempre! Lutemos pelos nossos direitos!

Pontaria

Eu costumo tomar duche de manhã. Gosto mais de tomar duche ao acordar, para despertar. Ontem à noite, não sei porque carga de água, resolvi tomar duche. Estava um bocado suado e cansado e um duche era boa ideia para dormir mais descansadinho.

Hoje de manhã acordo e não tenho água. Isto sim, é pontaria!

(mais) Uma ideia (muito) estúpida da Microsoft

A Micro$oft não pára de surpreender. De vez em quando lá apanho um ou outro programa deles com comportamentos imbecis, provavelmente definidos por programadores imbecis ou, quem sabe, advogados imbecis a dar ordens a programadores imbecis.

Imaginem o seguinte cenário: têm uma lista de contactos muito extensa que querem importar para o Address Book do Windows. Têm lá o ficheirito, em texto, cada campo é separado do seguinte por ponto e vírgula e pedem ao Address Book para importar. E ele importa. Depois começa a apitar a dizer que há contactos duplicados e pergunta se querem substituir o já existente ou não. E vocês pensam: "Han? Mas não há nomes duplicados...". Isto acontece porquê? Vamos imaginar que vocês têm dois contactos, respectivamente chamados "Pres. da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira" e "Pres. da Câmara Municipal de Vila Real". Os nomes são diferentes, e ao fazer a importação o nome é guardado na íntegra. Mas quando o Address Book vai verificar se já existe algum contacto com o mesmo nome ele só compara os primeiros 31 caracteres (pelo que deu para ver; não tenho a certeza que sejam exactamente 31, podem ser um pouquinho mais ou um pouquinho menos). Ou seja, ele compara os primeiros 31 caracteres do segundo endereço, "Pres. da Câmara Municipal de Vila Real" com os primeiros 31 caracteres do endereço "Pres. da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira". E como os primeiros caracteres de ambos os nomes são "Pres. da Câmara Municipal de Vi", o resultado é... que já existe um contacto com o mesmo nome. Então, têm de escolher se querem guardar o primeiro ou o segundo. Mas o que o imbecil diz é: "Já existe um contacto com esse nome: Pres. da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira. Deseja substituir este contacto?". E vocês pensam: "Será que tenho 2 Presidentes da CM de Vila Franca de Xira no ficheirito? Ah, se calhar tenho..." e vão verificar e reparam que só há um. E ficam a pensar naquilo, como eu fiquei. Só sabem que algo correu mal porque o vosso ficheiro tinha 315 contactos e foram importados 307. Mas... para onde terão ido os outros 8? Ao fim de muito, muito tempo (eu demorei um pouco mais de 1 hora, já que cada importação demorava uns 3 minutos), apercebem-se que este tipo de conflitos só existe em nomes muito grandes. E começam a abreviar, por exemplo "Câmara Municipal" para "CM" e o problema desaparece.

É muita estúpido...


Nota: o caso em concreto não tinha nada a ver com presidentes de câmara. Não tenho nenhuma relação com câmaras municipais, muito menos com os seus presidentes, a não ser no dia em que voto neles ou nos seus opositores. Era uma base de dados que tem muitos nomes de instituições que são parecidos entre si, pelo menos nos primeiros N caracteres (em que N é um número um bocado grandito). E os meus contactos não eram "só" trezentos e tal, eram para cima de 900...

14 setembro 2006

Atão...

Atão não é que o cabrão, que não tem outro nome, ainda teve a distinta lata de dizer que a culpa foi nossa?

O gajo passou o vermelho, nós passámos no verde. Preencheu-se a declaração amigável e ele escreveu e assinou que foi assim que a coisa se passou. Depois tem a distinta lata de escrever uma exposição à sua seguradora (é advogado, claro! cabrões dos advogados, devia-lhes nascer um pessegueiro no cú) a dizer que nós tivémos falta de cuidado, que ele buzinou e nós não ouvimos, o que prova que fomos descuidados, etc, etc...

Estive agora a fazer o meu testemunho para a seguradora (dele) e o gajo disse-me que não há crise, o cabrão excelentíssimo senhor advogado não se safa de maneira nenhuma. Mas à conta desta merda, já se passaram quase 2 semanas e o carro ainda não está arranjado. É fodido, não é?

Se tivéssemos chamado a polícia ele tinha levado a multa por ter passado o vermelho (havia 2 testemunhas além de mim) e provavelmente tinha ficado sem carta. Fomos uns porreiraços. E ele ainda se põe com merdas!

Agora, a parte engraçada... eu tenho a morada dele e sei a matrícula do carro. Acham que 2 semanas sem carro justificam uma pintura nova no carro dele? Com spray? Cor-de-rosa?

A regra dos 5 segundos

Desta vez, na rubrica "Lições de vida importantes para toda a gente menos para mim", vamos falar sobre a "Regra dos 5 Segundos".

De certeza que já aconteceu a toda a gente deixar cair um bocado de comida no chão e ficar a pensar se deve comer ou mandar fora. Felizmente há uma forma simples e rápida de decidir, a regra dos 5 segundos: se a comida estiver menos de 5 segundos no chão ainda está boa. Se ficar mais de 5 segundos já não deve ser comida.

Se conhecem, não tenho nada para vos ensinar. Mas, se não conhecem, deixo-vos dois exemplos ilustrativos da aplicação da regra:
  1. A regra dos 5 segundos - exemplos práticos
  2. A regra dos 5 segundos - Teste


O primeiro exemplifica de forma gráfica em que casos pode ou não ser ingerida comida que caiu no chão. O segundo é um pequeno teste. Vejam as situações e tentem acertar se a resposta está certa ou errada.

Penso que depois disto já não terão problemas em decidir, num caso real, como aplicar a regra e saberão se devem ou não comer a comida que caiu no chão.

Claro que a regra pode ser generalizada e pode aplicar-se a outras coisas que se metem em orifícios do corpo humano (passe a expressão), por exemplo, cigarros, cotonetes, supositórios ou clisteres.

Piiiiiii... Tuuuuu.... Piiiip

Tou a mandar faxes. Umas centenas deles. 923 para ser mais preciso. Já não aguento o barulho do fax. O que vale é que mando todos de uma vez, o PC fica a fazer barulho enquanto lhe apetecer e eu não me chateio mais com isso. O problema é este: muitos dos números mudaram ou já não estão atribuídos. Esses terão de ser verificados manualmente (serão perto de 10%). A chatice é que de cada vez que ocorre um erro fica uma mensagenzinha simpática no PC a dizer que houve um erro. E eu tenho de carregar no OK. Ou seja, não me posso afastar muito do bicho e tenho de gramar com o simpático barulho do fax. Eu tenho uma vida de grande sofrimento, lá isso tenho.

Ao menos isso!

Vá lá, o Benfica não perdeu. Diz quem viu (eu não vi) que não jogámos um cú, mas ao menos não perdemos. Ó Sr. Fernando Santos: mude alguma coisa na equipa, tá bem? Pode ser o treinador.

Eu não disse?

Acidentes na Praça de Espanha não houve, mas houve: um carro avariado no tabuleiro da ponte, um (pelo menos) acidente na A5, um acidente com 4 ou 5 carros no IC19 e mais uns quantos incidentes. Moral da hitória: fila no IC19 desde a 2ª circular, filas intermináveis nos acessos à A5, tudo parado para a outra banda pela 25 de Abril e trânsito compacto na Vasco da Gama e respectivos acessos. O tipo da rádio Capital devia estar a sentir o mesmo que sentiu o José Rodrigues dos Santos quando apresentava o 24 horas (não o jornal em papel, o antigo telejornal da noite da RTP) e rebentou a 1ª Guerra do Golfo.

Obviamente que depois a coisa alastrou e a Praça de Espanha estava um bocado parada e Sete Rios ia pelo mesmo caminho. Mesmo assim consegui só demorar meia hora até casa (já não consegui passar pela tal loja antes das 7, cheguei lá às sete e dez). Nem quero imaginar como estavam a 2ª circular, Entre-Campos, Marquês, Relógio e Marginal...

Agora, querem saber o que é verdadeiramente mau? A maior parte das escolas só começa as aulas na próxima segunda-feira, ou seja, isto ainda vai piorar.

O que mais me chateia no trânsito nem é o facto de se andar devagar e a confusão que se gera. O que me chateia são as pessoas que se irritam com o trânsito. Se tá tudo parado, querem fazer o quê? Eh pá, baixem o vidro, acendam um cigarro e ponham um CD a tocar. E pronto. Irritados ou calmos vão demorar o mesmo tempo a chegar a casa e sempre chegam com melhor disposição. Levem a coisa com mais calma. Quando venho para o escritório e já passa das 9h e eu tou no meio do trânsito posso ter dois pensamentos:
- "Merda, já tou atrasado e isto nunca mais anda"
ou
- "Às 9:10 começa a Linha Avançada na Antena 3, se a coisa estiver mesmo má ao menos ouço as bocas do José Nunes".

Qual das atitudes vos parece mais positiva?

13 setembro 2006

Carrinhos de choque

É só para avisar que está a chover. E como eu não quero demorar hora e meia a chegar a casa, vamos a ver se é desta que conseguimos não andar por aí a ter acidentes à parva, ok? Acima de tudo, livrem-se de ter um acidente na Praça de Espanha que eu vou passar por lá pelas 18:45. Se eu me atraso por vossa culpa é melhor chamarem logo uma ambulância. Toca a conduzir com calminha, se faz favor, que temos mais que tempo de chegar a casa e ver o Benfica.

Nota: eu não tenho pressa de chegar por causa do jogo, provavelmente nem o vou ver porque dá na Sport TV, mas tenho de chegar a Benfica antes das 7 horas, senão a loja onde quero ir fecha. Ontem passei lá às 7:10 e bati com o nariz na porta.

Celeridade

É hoje lida a sentença do caso do acidente de Entre-os-Rios. 6 arguidos são acusados de negligência. Só para lembrar: o acidente aconteceu em Março de 2001, há pouquíssimo tempo. Só 5 anos e meio.

Este caso até foi rápido, se o compararmos com o famoso caso dos hemofílicos contaminados com HIV (já não me lembro, mas esse demorou quanto tempo? Uns 10 anos?) ou com o processo Casa Pia. Neste então o cenário é fabuloso. Ao fim de 2 anos e meio já foram ouvidas 70 testemunhas. Ora a este ritmo, são mais de 1000 testemunhas, deve demorar... 35 anos a julgar o caso. Por essa altura já morreu quase toda a gente envolvida no caso. 1000 testemunhas? mil testemunhas? MIL? Mas tão todos parvos ou quê? Alguém no seu perfeito juizo acha razoável que haja 1000 testemunhas num único processo? Nem que pusessem todos os tribunais do país a ouvir testemunhas em paralelo se safavam em tempo útil!

Depois disto alguém ainda tem lata de acusar as instituições desportivas de demorarem demasiado tempo a julgar e a decidir o caso Mateus? Ao pé dos tribunais comuns as instâncias da FPF e da Liga são o Speedy Gonzalez. Instauram processos, ouvem testemunhos, acusam, julgam, sentenciam, e até resolvem recursos à velocidade do pensamento. Só (?) demoraram 8 meses a decidir (???) o raio do caso.

É nestas alturas que me lembro de um anúncio que saiu há uns anos num jornal e que dizia qualquer coisa neste género: "Vende-se: Pequeno país com 90.000 km2, vista para o mar, a precisar de obras". Não vos dá vontade de pôr o anúncio outra vez? Pode ser que o El Corte Inglès, a Telefonica ou a Repsol (ou todos juntos) decidam de uma vez por todas comprar isto.

Gooooooooooooooooooooooolo!

... jogada de perigo sobre a direita, o remate... ao lado! Mas a bola sobra para o apanha-bolas e é gooooooooooooooooolo!!! É golo do apanha-bolas! Que golo espectacular, marcado pelo apanha-bolas em fora-de-jogo! LITERALMENTE, FORA-DE-JOGO!

Vídeo recomendado a toda a gente que passa semanas a discutir um fora-de-jogo mal assinalado ou um penalty duvidoso. Da próxima vez limitem-se a dizer "ainda bem que não estamos no Brasil". Ou "Ainda bem que não temos gajas a apitar jogos da I Liga".

(obrigado Gonçalo)

Seinfeld

Esta é para o Filipe. Dois quizes (daquele género semi-idiota que serve para perder 5 minutos e no fim concluir que tinha sido mais produtivo ter ido beber café) sobre essa série de culto (para uns), irritante (para outros) e imprescindível (para o Filipe): este e este.

Fiz os dois e fiquei furioso! Nenhum deles acha que eu sou o Kramer! Mas ao menos também não acham que eu seja o George ou (cruzes, credo!) o Newman.

(ideia tirada do blog da Filipa)

Champions League

Começou ontem a Champions. E começou logo com a lagartada a ganhar ao Inter. Bem, se calhar devia dar os parabéns às lagartixas, mas sinceramente não me apetece. Em vez disso prefiro dizer que hoje é dia 13 de Setembro. Ora, 3x9=27, noves fora nada, faltam 3 meses e 12 dias até ao Natal. Vão contando e aproveitem enquanto dura.

12 setembro 2006

Um clube de fans?

Será um clube de fans do Ó faxavor (vejam as publicações de 12 de Setembro)? Ou será que é desta que me torno persona non grata a norte do Mondego?

Apito dourado

Andam por aí umas notícias a dar conta de um alegado envolvimento do Luís Filipe Vieira e do José Veiga no caso apito dourado. Ora bem, o Ó faxavor conduziu uma investigação cuidadosa, analisou os vários elementos processuais, e chegou às seguintes conclusões:

  • Pinto da Costa, presidente do FCP: corrupto.
  • Reinaldo Teles, ex (é ex, ou ainda lá está?) manda-chuva do futebol do FCP: corrupto (e suspeita-se que também possa ser proxeneta...)
  • Valentim Loureiro, presidente da Liga e ex-presidente do Boavista: corrupto.
  • João Loureiro, presidente do Boavista, filho do anterior presidente: corrupto (com a atenuante de ter sido por ordem do paizinho).
  • Pinto de Sousa, presidente do Conselho de Arbitragem: corrupto, com a agravante de não ser dirigente de nenhum clube de futebol, por isso não tem simpatizantes.
  • Soares Franco, presidente do Sporting: corrupto.
  • Dias da Cunha, ex-presidente do Sporting: inocente e um bocado totó; seria corrupto de tivesse nível para isso.
  • Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica: comprovadamente inocente e bom moço.
  • José Veiga, manda-chuva do futebol do Benfica: mais limpo que o rabiosque de um bebé depois de limpo e com 1 kg de pó de talco.
  • António Fiuza, presidente do Gil Vicente: coitado, vamos deixar o homem fora disto. Já lhe chega o caso Mateus...
  • Santana Lopes, saltimbanco de cargos de projecção mediática, entre os quais presidente da CM Lisboa, do Sporting e chefe de governo: não sei bem o que é que ele tem a ver com o caso, mas alguma deve ter feito para haver tanta gente a não gostar dele...

Meus caros leitores, sabeis bem que eu não seria capaz de mentir num caso assim tão sério!

Blog da semana

Lá muito de vez em quando dá-me para recomendar um blog. E hoje deu-me para isso.

Era para ser blog do dia, mas como é pouco actualizado, vai ter de ser blog da semana. Por isso, esta semana recomendo este blog como visita semi-obrigatória.

Uma ideia brilhante!

O VP americano foi a um jantar de angariação de fundos para as campanhas eleitorais de alguns governadores, pelo que ouvi dizer. A ideia é boa: organiza-se um jantar a 2500 dólares por pessoa e convida-se gente importante para aparecer.

Vai daí, pus-me a pensar: e se eu organizasse um jantar desses para o Ó faxavor? Não era uma grande ideia? Faço as coisas um bocado mais baratas, porque o Ó faxavor precisa de menos dinheiro que uma campanha eleitoral americana, p'raí 1000 euros por pessoa, e arranjo convidados VIP para atrair pessoal.

Tava a pensar convidar o Bono, o Luís Figo e a Eva Longoria. Há interessados em ir ao jantar? Aceitam-se pré-inscrições, mediante pagamento de sinal (100 euros) ;)

11 setembro 2006

Sai mais uma sondagem.

Apesar dos esforços heróicos de 22% dos votantes, a resposta que reuniu mais votos foi mesmo omelete. Bem, já eram horas de trocar de sondagem, por isso, aí tá.

Cultura

Na sexta feira vi um documentário (não era sobre o 11 de Setembro) e às páginas tantas alguém disse "twelve thousand square miles", o que foi traduzido como "19000 km^2".

Vai daí, apelo e quem conhecer o senhor (ou senhora) que fez a tradução e legendagem desse documentário que lhe recomendem este post.

Ó faxavor! 12 mil milhas quadradas não são 19 mil quilómetros quadrados. São cerca de 31 mil quilómetros quadrados, ok? 1 milha vale aproximadamente 1,6 km. Mas uma milha quadrada não é 1,6 km2 é 1,62 km2, ou seja, aproximadamente 2,6 km2. Certo? Por alguma razão quando pomos um 2 em expoente dizemos "ao quadrado". Quer dizer que um quadrado de lado x tem uma área de "x ao quadrado". Ora, se um quadrado com uma milha de lado tem 2,6 km quadrados de área, então, 12000 milhas quadradas serão aproximadamente 31 mil quilómetros quadrados (1 milha tem 1609,344 m, ou seja, 1 milha quadrada é 2,590 km2). Percebeu?

É melhor fazer um desenho, não é?

O quadrado da esquerda tem lados com o dobro do tamanho dos do quadrado da direita, logo tem 4 vezes (que, só por curiosidade, é dois ao quadrado) a sua área. Sim? Tá melhor?

Ainda há dúvidas? Ok, e que tal assim: num quadrado de lado 2 cabem 4 quadrados de lado 1:


Ai, esta gente que não percebe nada de matemática... ;)

Nota: é a mesma coisa para volumes, obviamente. Se uma polegada é 2,54 cm, 1 polegada cúbica é 16.39 cm3.

Radical!

As fotos que se seguem foram tiradas ao longo de 47 minutos de muita adrenalina em que o protagonista (que preferiu manter o anonimato) arriscou seriamente a vida numa manobra arriscada e que não deve ser tentada em casa. Note-se que o indivíduo em questão é um profissional treinado e tinha seguro de vida!

















Não é muito meu hábito pôr no blog fotos que recebo por e-mail, mas fiquei tão impressionado com estas que não resisti! ;)

(obrigado Bruno)

Tabu

O tabu do dia é: o futebol. A gerência agradece que não falem no assunto. Obrigado pela compreensão.

Carros de serviço

No outro dia vi dois carros de serviço da ANACOM (para quem não sabe, ANACOM quer dizer Autoridade NAcional de teleCOMunicações, ou Associação Nacional de Ajuda à portugal teleCOM). Pelo menos acho que eram carros da ANACOM, tinham um autocolante na porta a dizer "Ao serviço da PT Comunicações".

Um pedido de desculpas formal

Um imbecil estimado leitor do Ó faxavor sentiu-se ofendido com o meu último post e a caricatura que fiz às gentes do Minho. Na opinião do idiota leitor a caricatura estava mal feita e eu sou um "frique anormal que pertence à fina casta social". Tudo isto porque usei os x tão típicos de Viseu para caricaturar o sotaque das gentes de Barcelos que fica no Minho.

Senhor leitor anónimo (como convém dado o teor do comentário): peço mil perdões pelo lapso. De facto a caricatura teria sido muito melhor se eu tivesse feito bonecos e tivesse retratado todos os minhotos com um garrafão de 5 litros de vinho e todas as minhotas com um bigode maior que o do Artur Jorge nos seus tempos áureos. Talvez aí o digníssimo palerma leitor tivesse ficado menos ofendido. Infelizmente, não sei desenhar.

Ou se tivesse retratado todos os minhotos como estúpidos analfabetos incapazes de dizer três palavras sem uma caralhada pelo meio. Talvez se tivesse alegado que todos os empresários do Norte são exploradores de trabalho infantil e todos os seus trabalhadores são violadores de ovelhas o palhaço de merda leitor achasse o retrato mais justo.

Mas não, eu usei traços errados na caricatura do sotaque, o que é uma falha imperdoável. Estava para fazer uma caricatura aos açoreanos, mas não vá começar a usar traços do sotaque da Madeira para fingir um sotaque de S. Miguel, acho melhor ficar quieto.

Bem, vou voltar para as minhas festas chiques em que posso tratar todas as senhoras por tiá e todos os senhores por tiú, e preocupar-me mais com o meu trabalho de decorador de interiores/relações públicas/organizador de eventos e deixar de me preocupar com os morcões do Norte que só existem para baixar o nível social deste país pindérico. Ai, as saudades de Paris...

08 setembro 2006

A entrevista possível

Ontem à noite foi a muito aguardada Assembleia Geral do Gil Vicente.

Como era mais ou menos de esperar vindo daqueles morcões, a Direcção tem carta branca (não gosto muito da expressão carta branca; se calhar devia usar luz verde; mas porque raio é que estas expressões têm sempre cores pelo meio?) para fazer o que bem quiser e para seguir com caso até às últimas consequências.

O Ó faxavor seguiu de perto a entrevista e enviou um repórter para entrevistar sócios do Gil Vicente e membros da Direcção do clube, tentando obter as suas reacções.

Ó faxavor: Então, o senhor acha que o Gil Vicente deve continuar com o processo em tribunal?
Sócio Anónimo: Hein?
ÓF: O Xenhor aicha que o Gil Bicente debe continuar com o proxexo em tribunal?
SA: Xim, xenhor, isto éi uma bergonha que estais a fajer ao Gil Bixente.
ÓF: E tem confiança que os tribunais dêem razão ao Gil Vicente?
SA: O quêi?
ÓF: E acha que o tribunal bai dizer que oxenhores têim razoum?
SA: Ah, xim, claro. O Gil Bixente num pode ir para a xegunda dibijoum, carago.
ÓF: Mas não acha que o Gil Vicente violou os regulamentos desportivos ao recorrer para tribunal?
SA: O quêi? Ó home, fale português carago!
ÓF: Noum aicha que o Gil Bixente biolou os regulamentos?
SA: Noum carago. A Federaçoum dixe p'ra gentes ir p'ó tribunal e a gentes foi p'ó tribunal carago. E bamos ganhar àqueles mouros e mostrar como soum as gentes do norte.
Multidão em júbilo: Yeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! Gil Bixente! Gil Bixente! Gil Bixente! Gil Bixente!
ÓF: Sabe que a Federação diz que não foi bem isso que disse...
SA: Han?! Ó home, mas bocemessê é estranjairo?
ÓF: Errr... e noum teim medo que o Gil Bixente perca em tribunal?
SA: Ó home! Bocê tá a começar a arreliar-me. Dêim um enxerto de porrada ao home!
(neste momento a multidão enfurecida começa a espancar violentamente o repórter)
ÓF: Aaaaaaaai! Socorro! Ó Sr. Presidente, dê aqui uma ajudinha que eles matam-me aqui!
Presidente: Arreia-lhe carago! Mostra a esses mouros quem manda aqui eim Barxelos! Que xe a Federaçoum nos dixe p'a ir p'a tribunal a gentes bai p'a tribunal e o tribunal bai dijer-nos que éi o Gil Bixente que fica na primeira Liga. Q'os belenenjes soum uma cambada de mouros e boum p'a xegunda. Q'o Mateus teim o direito de jogar xim xenhor, q'o moxo éi boa pessoa. E o Prejedente do Lixa pode ir p'o ####### maij a Liga e o Madaíl. Perxebesteis? Ide dijer isto a Lisboua mouro d'um ######.

A reportagem (e o enxerto de porrada) foi interrompida neste momento com a chegada da ambulância que levou o repórter para o hospital. Foi preciso esperar mais de meia hora, porque os primeiros dois motoristas da ambulância eram adeptos do Gil Vicente e teve de vir uma ambulância de Matosinhos. Por razões de segurança o repórter foi transportado para o Hospital S. Francisco Xavier, onde está internado nos cuidados intensivos. Conseguiu recuperar a consciência hoje de manhã durante 5 minutos e conseguiu enviar este texto por e-mail antes de voltar a perder os sentidos.

07 setembro 2006

BI

Fui renovar o BI. Tinha de ser e tal (mudar a morada no BI e na carta e demais documentos e mais não sei o quê).

Devo dizer que não gosto de renovar o BI. Sem contar com as filas imensas (que eu consigo evitar indo sempre aos serviços 10 minutos antes de fechar). Para já, temos a tinta para as impressões digitais que fica sempre nos dedos. Eles dão-nos um toalhete para limpar o dedo mas além de ficar sempre um bocado de tinta agarrada fico com as mãos a tresandar a limão. Depois há a questão das fotografias que nunca ficam nada de jeito. Da próxima vez tou seriamente a pensar pôr a língua de fora na foto (um amigo meu fez o mesmo mas foi na foto do Cartão Jovem). Depois temos a questão dos acentos: da penúltima vez que renovei o BI resolveram que Nelson leva acento no E. Pois, até pode levar. Mas na minha certidão de nascimento não leva E, nunca escrevi Nélson e não quero o raio do acento para nada. Por isso, na última vez que renovei, fiz a reclamação e tiraram-me o acento. Ah, até me ia esquecendo: a altura! É sempre um trauma. Metade das vezes não nos medem. Quando nos medem ficamos sempre desapontados com o valor medido. "Só? Mas eu pensava que tinha 1,78!" e eles lá põem 1,73.

Mas o pior de tudo é a assinatura! É que eu não consigo fazer duas assinaturas iguais e é preciso assinar o BI propriamente dito e o impresso, e se ficar muito diferente mandam-me repetir. Hoje repeti 5 vezes a assinatura e a mulher só aceitou porque já começava a faltar espaço nas costas do impresso. Ou era o n que não estava grande coisa, ou era o fim da assinatura que num caso tinha um risco e no outro não, não conseguia acertar com aquilo... é um trauma que tenho, não consigo assinar. Quando vou a algum lado e dizem "assine como tem no BI" eu até tremo! Só penso que vão desconfiar que o BI é falso e vão chamar a polícia. Começo a suar e a caneta escorrega-me das mãos. E aí é que fica mesmo diferente, lá o raio da assinatura.

Esta minha incapacidade para assinar tem algumas causas facilmente identificáveis. Em primeiro lugar, como qualquer canhoto que se preze, tenho uma caligrafia horrorosa. Depois, como passo a maior parte do tempo a escrever ao computador, tenho pouca prática a escrever com esferográfica. E finalmente, para piorar o cenário, odeio cheques. Sempre que alguém diz que eu preciso um cheque eu só penso que tenho de ir ao banco pedir um livro de cheques. Agora com o prazo de validade dos cheques tou mesmo a ver que peço um livro de 22 cheques e uso 1 antes de acabar o prazo. A culpa deste estado de coisas é do multibanco! É tão mais fácil, seguro e cómodo que eu uso o multibanco para tudo e mais alguma coisa.

Para acabar com este estado de coisas eu sugiro uma de duas medidas:
  • Ou se acaba com o multibanco e se obriga o pessoal a usar cheques para tudo, para eu poder praticar as assinaturas
  • Ou abolimos a assinatura no BI e passamos a usar um PIN!


Na renovação do BI a única coisa a que acho piada é ao impresso. Ok, é o mesmo impresso para pedir o BI pela primeira vez e para renovações e para renovar não é preciso preencher a maior parte das coisas, mas não deixa de ter piada, aos 29 anos, preencher um impresso que pergunta o nome do pai, nome da mãe e local de nascimento. Quando comecei a preencher o impresso e vi aquilo perguntei: "Olhe, é preciso preencher a naturalidade e o nome dos pais? É que desde que renovei o BI a última vez que não mudei de pais nem de nasicmento". Lá me disseram que só o nome e a morada completa é que é obrigatório preencher. E nem acharam grande piada ao que eu disse. Se calhar porque eram 19:20 e a loja do Cidadão fecha às 19:30 e aquela malta já tinha pouca pachorra para tipos com a mania que são engraçados.

Viram o jogo?

Até me ia esquecendo de perguntar! Então, viram o jogo? Ontem empatámos 1-1 com a Finlândia (uma clara melhoria depois de no último jogo com os tipos termos levado 4-1 em casa, já lá vão uns anos). Espero que tenham visto o jogo, porque pode muito bem ter sido o último jogo da Selecção em muito, muito, mas mesmo muito tempo!

Tou a ficar preocupado

Plutão já perdeu o estatuto de planeta há quase 1 mês e eu ainda não mandei nenhuma piada acerca do assunto. Acho que vou ter de falar sobre isto com a minha terapeuta, devo ter um qualquer trauma com a questão.

Não que ache que Plutão merece o nome pomposo de planeta. Afinal o gajo é pequeno (menos de metade do tamanho da Lua), escuro (pouco menos que preto), frio (uns 250º negativos, mais ou menos) e lento (salvo erro perto de 250 anos para dar uma volta ao Sol). Pelos vistos tem uma Lua sobre a qual sabemos mais ou menos o mesmo que sobre Plutão: praticamente nada. E se vamos dar a calhaus destes o nome de planeta temos sérios problemas de nomenclatura. Já se descobriram mais uns quantos calhaus mais afastados do Sol que Plutão e um deles até parece que é maior que Plutão e tudo! Há umas 20 Luas do sistema solar que são maiores que Plutão e até alguns asteroides, bem vistas as coisas, podiam merecer o nome de planeta se alguém acordasse para aí virado. Mas, concordando ou discordando do assunto, é preciso, é urgente, é imperioso inventar uma piada qualquer para dizer, certo?

Até já andei a receber piadas por mail a dizer que Plutão vai interpor uma providência cautelar para anular a decisão de despromoção num Tribunal Administrativo Interplanetário e mais não sei o quê e, apesar disso, continuo mudo sobre o assunto. Acho que tou a perder qualidades.

A melhor tentativa de piada que consegui foi dizer que os habitantes de países como o Mónaco, Liechtenstein e Tuvalu estão a expressar sérias preocupações, com medo que o mesmo princípio que fez com que Plutão passasse a ter a categoria de planetóide (calhau errante no meio do espaço para os menos entendidos na matéria) faça com que os países em questão percam o seu actual estatuto de país e recebam outro nome qualquer que, traduzido em termos de leigos seria "bocado de terra insignificante com gente com a mania que é independente". Mas o pior seriam mesmo as consequências ao nível do futebol português! Já não bastam as confusões por causa do ultimato da FIFA, ainda nos arriscamos a ter clubes pequenos (como o Cucujães, o Gil Vicente ou o Sporting) a perderem o estatuto de clube e a passarem a ser clubóides (que quer dizer "associação de pessoas que venera algo semelhante a futebol praticado por indivíduos sem classe nem técnica e que em locais sub-desenvolvidos pode ser confundido com futebol a sério").

Preciso rapidamente de encontrar uma qualquer piada decente para fazer com Plutão, mas a coisa tá difícil... nos entretantos, acabei agora uma tradução que envolveu termos como "triângulo pedal" e "pavimentação monoédrica". Estou feliz por ter acabado. Agora vou pegar noutra que usa expressões como "plano mediador", "icosidodecaedro" e "cuboctaedro". Ai...

O meu livro de reclamações

O Ó faxavor tem livro de reclamações. Já o tem desde Janeiro (desde que começou a ser obrigatório, claro!), e até agora só tenho 4 reclamações e uma delas é minha! Tou chateado porque ninguém reclama! Será que ninguém tem razões de queixa do blog? Eh pá, se não têm razões de queixa reclamem a dizer bem! ;)

De cada vez que recebo um mail a dizer: "Your Guestbook has been signed" vou ver o que é e invariavelmente descubro que é Spam. Hoje houve outra: publicidade a um site que vende documentos falsos por encomenda! Todas as semanas tenho publicidade no raio do guestbook...

Autarquias não apoiam ciência

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1269267&idCanal=21

"Autarquias recusam apoio"
Fico eu, automaticamente, a equacionar na minha cabeça: "Portugal = País retrógrado em que ninguém apoia a ciência".

Mais abaixo leio que pediram dinheiro à primeira-dama. Ora, pobre da senhora que não fez mal a ninguém: o orçamento dela deve ser para renovar o palácio de Belém, meter umas flores nos salões, e e... Quem é que no seu bom juízo vai pedir dinheiro à mulher do Presidente da Republica para fazer experiências na ausência de gravidade ?!

Ah, mas espera lá. Mesmo no fim do artigo até parece que a FCT e a FCG, para além do Dep. de Física da Univ. do Porto acabaram por financiar o que era preciso. Ora bem. Isso até me parece bem. Porque é que o artigo dá a ideia que está tudo mal? Não é a entidades assim que se deve pedir patrocínios para coisas científicas? Eu, por exemplo, não ia pedir à Zara para financiar a minha participação nas experiências do CERN...

Se fosse na Suíça (desculpem lá a nota de emigrante) o titulo da noticia leria "Jovens portugueses voam sem gravidade" e continuaria dizendo que tudo foi possível graças à FCT e FCG, etc, descreveria os objectivos das experiências, a emoção dos jovens e outras coisas positivas. Sim, positivas. Será que este conceito não é rehabilitável em Portugal?

É incrível a disparidade de formas como se podem redigir os mesmo factos. As autarquias estiveram-se nas tintas? Houve quem não se estivesse, não foi? Eu quero lá saber se a câmara municipal de Beja não respondeu. Estava, isso sim, interessado em perceber porque é que a formação de bolhas em líquidos em ebulição em gravidade zero é interessante.

A minha conclusão?

As autarquias deviam processar o jornal por difamação: o elas não darem dinheiro ou não darem resposta não tem a bota a ver com a perdigota. E assim o circo continuava. E não era nada mau que pegasse fogo, claro está, desde que as florestas não ardessem mais por causa disso. Se é por essa razão que as autarquias não se metem no jogo português dos processos de difamação, então parabéns.

E para acabar, um desabafo: Santa paciência ! (Sim, alguém já começava um blog com este título...)

--
André David

--------------------
Nota: Este post inaugura uma nova etapa do Ó faxavor: as contribuições externas. Se quiseres publicar qualquer coisa aqui manda um mail (o endereço do blog está no canto superior direito da página) e eu publico. Ou então não. Posso não gostar! ;) Já agora, André: já começavas um blog chamado "Santa Paciência", não?

06 setembro 2006

Conversa telefónica sobre telefones

Relato de uma chamada que acabei de receber:

- Bom dia, fala Fulano de Tal por parte do Operador X, tenho a informação que os senhores trabalham com o Operador Y e gostaria de lhe colocar duas questões
- Sim?
- Se sabe quando é que acaba o vosso contrato e...
- Sei.
- ... e o contrato acaba em?...
- Não tem nada a ver com isso.
- Desculpe?
- Não tem nada a ver com isso. Quando o contrato acabar se nós quisermos mudar de operador contactaremos os vários operadores do mercado. Mais alguma questão?
- ... Não, é tudo.
- Então, bom dia.

Fiquei sem saber qual era a segunda questão...

Irritam-me estes gajos. Todas as semanas aparece mais um que "liga da parte do operador tal"; na verdade são apenas agentes que recebem comissões por cada contrato mas apresentam-se sempre como "Vodafone Negócios", "TMN Empresas", "Optimus Empresas", "PT Prime", "Novis negócios", entre outros. Já me aconteceu uma destas:

- Sim, bom dia?
- Bom dia fala Fulana do Operador X, gostaria de saber com que operador de telemóveis os senhores trabalham?
- Desculpe, fala de onde?
- Fulana do Operador X
- Se fala do Operador X, devia saber que nós temos contrato com o Operador X. Por isso, importa-se de me dizer de onde fala? É do operador ou é um agente?
- ... Ah, e da Empresa Y, que é agente empresarial do Operador X.
- Então, porque é que se apresenta como sendo o operador? Se é um agente, apresente-se como agente.
- Ah, desculpe, e tal. Podia-me dizer quando termina o vosso contrato?
- Não tem nada a ver com isso.
- ...
- Mais alguma questão?
- ... Não, obrigado pelo seu tempo.
- De nada. Bom dia.

Detesto agentes de telecomunicações! E também não gosto muito de gestores de conta. E por falar nisso, tá na altura de chatear o meu gestor de conta do telefone fixo a perguntar onde param os descontos prometidos há 6 meses...

Comemorações do 250º aniversário

As comemorações do 250º aniversário de Wolfgang Amadeus Mozart (baptizado Johannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilus Mozart segundo a Wikipedia) continuam e o Ó faxavor! não podia deixar de assinalar a efeméride, pelo menos uma vez.

Assim, este post é dedicado aos descendentes de WAM (eu sei, escusam de avisar.).

Links recomendados:

Sinfonia nº 40 (K550), 1º andamento pela Fulda Symphonic Orchestra , dirigida por Simon Schindler.

Sinfonia nº 40 (K550), 1º andamento interpretada por um gajo em patins

Jovem: tens mais de 18 anos e procuras uma carreira de sucesso?

Então, torna-te vigarista!

"Ah, eu até gostava, mas não percebo nada de vigarices, tirando aquela vez que me enganaram em 5 contos e nunca mais vi o dinheiro. A única vez que tentei vigarizar alguém o meu pai descobriu e deu-me um enxerto de porrada que fiquei duas semanas a jantar de pé." Não tenhas problemas! Agora, temos a solução!

O Instituto do Consumidor publicou no seu site (www.consumidor.pt) um manual simples e prático que te vai permitir começar a burlar como se fosses um verdadeiro profissional! Usando as novas tecnologias e recorrendo a receitas de sucesso já experimentadas no mundo inteiro por reputados especialistas, este manual é, sem dúvida, uma ajuda preciosa para quem quer iniciar esta carreira promissora!

Para quê arriscar em novos esquemas de sucesso duvidoso? Confia na opinião dos especialistas da vigarice! Não arrisques o teu dinheiro em burlas sem futuro! Não percas tempo com burlas menores que só te dão dinheiro para o tabaco!

Não percas tempo! Lê já a lista das 12 maneiras de enganar incautos via e-mail. O sucesso é garantido!

Necessidades especiais

Utentes com necessidades especiais têm tratamento prioritário. Assim, nas repartições públicas deve haver filas prioritárias para grávidas, idosos, deficientes e... advogados, segundo o Portal do Cidadão.

Eu nunca fui muito à bola com advogados e por mim podiam ser todos mandados para Espanha. Agora fico a saber que afinal não é culpa deles, é uma espécie de deficiência, uma limitação fisica (ou psicológica, pelo texto da notícia não dá para perceber) e por isso não os devo discriminar.

Lá porque uma pessoa diz palavras como "ónus", "coima" ou "jurisprudência" não devemos fazer pouco dessas pessoas, porque temos todos igualdade de direitos e de oportunidades e somos todos seres humanos válidos.

Agora já sabem: quando virem um advogado de pé no autocarro, cedam-lhe o lugar. Se um advogado estiver na fila das finanças (Não deve ser para pagar IRS, claro! O mais certo é o pobre advogado pagar 0% de IRS e ainda receber fundo de desemprego e rendimento mínimo), deixem-no passar à frente. E quando ouvirem um advogado a falar na TV, assim, sei lá, sobre o caso Mateus ou coisa no género, não façam pouco dele. Coitado, não tem culpa de ser advogado! Ele queria ter entrado para engenharia, mas teve nega a matemática desde o 7º ano, teve de se sujeitar.

05 setembro 2006

Vitóooooooooooria!!!!!!

Depois de muito tempo de volta disto consegui por aquela merda a funcionar! (a tal de que não digo muito mas que me fez re-instalar o sistema operativo).

E a solução são as Preferências Regionais (Regional Settings) do Windows: instala e funciona bem em "English (United States)" e não funciona em "Português (Portugal)". Já há uns anos tinha apanhado uma destas: instalar o Mcafee tinha o mesmo problema. E nos tempos mais recentes conheço uns quantos casos parecidos. Tudo isto por causa da forma como o Windows resolve traduzir certas expressões (como "Dados da Aplicação"/"Dados de Aplicação" em vez de "Application Data") e algumas destas expressões são incorrectamente introduzidas no programa de instalação. De quem é a culpa? Não sei, nem me interessa, tá resolvido! Pronto, agora tenho um brinquedo novo! Ah!

Olha, querem ver?

Atão não é que li a crónica do Miguel de Sousa Tavares n'A Bola e concordei com ele? Quase integralmente! É caso quase único na história. Principalmente por se falar de futebol! Mesmo quando em jeito de rodapé ele faz umas críticas ao Luís Filipe Vieira e eu até achei que ele tinha razão. Das duas uma: ou tou a ficar doente (se calhar dos olhos), ou o fim do mundo aproxima-se a olhos vistos...

Os animais

Serão assim tão nossos amigos?


Uma mulher reles recebe frequentemente o nome de Vaca.
Se for má pessoa é uma Cabra.
Uma mulher feia (mas mesmo feia), é um Bode.
Uma pessoa pouco inteligente é Burro.
Um gajo labrego/bruto/outras coisas pouco abonatórias é um Cavalo.
Um gajo que come por 3 é um Boi.
Uma mulher gorda é uma Baleia, Cachalote.
Um gajo parvo faz figura de Urso.
Um gajo que é má pessoa é um Camelo.
Uma pessoa chata é Melga, Carraça.
Uma pessoa pouco expedita é Mosca morta.
Um gajo brutamontes é um Gorila.
Uma pessoa suja é Porca.
Uma mãe demasiado protectora é mãe Galinha.
Um totó é um Pato.
Uma pessoa atarantada é uma Barata tonta.
Um gajo que fala, fala, fala e não diz nada de jeito é um Papagaio.
Há também o olhar de Carneiro mal morto.
Uma pessoa teimosa é Mula.
Uma pessoa má é uma Cobra ou Víbora.

E, claro, temos o pior insulto de todos: Uma pessoa horrorosa, nojenta, feia, mal-cheirosa, pouco inteligente, parva, desligada da realidade, aborrecida, insuportável, idiota, é um Lagarto ou uma Lagartixa.

Alguns destes nomes de animais têm mais de um significado, todos pouco lisonjeiros. E há muitos outros que agora não me lembro.

Se os animais fossem nossos amigos nós não nos lembrávamos deles só para insultos. Com amigos destes quem é que precisa de inimigos?

04 setembro 2006

Coisas a fazer

Hoje:
1. Ir para casa; deixar o portátil no escritório;
2. Inventar qualquer coisa para comer;
3. Dormir.

Amanhã:
1. Mudar de anti-virus;
2. Insultar-me durante 5 minutos por ter confiado no anti-virus e ter executado um crack que saquei do eMule;
3. Não pensar mais no assunto.

Grandessíssimo filho da mãe!

Atão não é que apanhei um virus? Ok, a culpa até foi provavelmente minha. Mas eu corri o anti-virus no raio do ficheiro antes de o executar e o resultado foi negativo. Bem, já identifiquei o bicho, ou pelo menos a família a que pertence. Agora é identificar a variante e limpá-lo à mão...

E eu que costumo ter tanto cuidado... a última vez que apanhei um bicho mau foi nesse verão terrível de 2003... já lá iam uns anitos sem chatices...

Correcção

No post anterior O Caso Mateus por lapso escrevi "caos" em vez de "caso". Contudo, o erro é particularmente apropriado, pelo que não o lamento e não o corrijo. ;)

Alterações ao código da estrada

Além das já conhecidas (taxa de alcoolémia permitida de 0,57 g/l e 118 km/h de velocidade máxima nas auto-estradas), há umas alterações novas ao código.

Assim, ficam a saber que:

Na presença de sinais luminosos, o significado das luzes é o seguinte:
a) Luz vermelha - manter a velocidade, e, se houver outros carros, buzinar. Não travar.
b) Luz amarela - mantém o significado anterior
c) Luz verde - olhar com atenção para ambos os lados e, se não vier ninguém, avançar de vidros abertos e rádio desligado. Se ouvir buzinadelas, parar imediatamente.

Colete reflector: é obrigatório usar sempre, mesmo quando se está no passeio. Os peões são obrigados a usar colete reflector em todas as ocasiões.


Descobri estas inovações do código da estrada ontem. Íamos de carro, avançamos no sinal verde e levamos com um BMW do lado esquerdo (foi só chapa, ao menos isso). O tipo pura e simplesmente não parou no vermelho, não abrandou, não tentou sequer travar (ou pelo menos não tentou com muito afinco, porque não deixou marcas de travagem) e quando viu que nós estávamos a avançar... buzinou. Para nos avisar que não ia parar. E depois ainda teve lata de dizer que parte da culpa até era nossa, porque "arrancámos um bocado depressa". Sim, concordo. Entre abrir o sinal verde e termos sido colhidos andámos uns 10 metros, devíamos ir a uns 160 km/h, pelo menos... que o homem até fez tudo para evitar o acidente. Até buzinou "depesperadamente" e tudo para nos avisar. Pois... fez tudo menos travar! Que, se bem me lembro, é umas das coisas que se podem fazer para evitar acidentes. Claro que em questões de semáforos é importante estar escrito e assinado por ambos quem tinha luz verde e quem passou o vermelho (o gajo ainda barafustou um bocado e tal mas lá assinou; além disso, tínhamos uma testemunha que se prontificou imediatamente a ajudar).

Távamos no meio da estrada, pusémos o triângulo, apareceu a polícia, perguntou se era preciso alguma coisa, dissémos que não, e tudo ficou assim. Ajudaram-nos a tirar os carros do meio da estrada e pronto. Lá ficamos nós no passeio, a preencher os papeis. Aparece um taxista (tinha de ser um taxista, são as maiores autoridades nacionais no código da estrada) a dizer que temos de ter o colete. No passeio... não interessa, se foi acidente, têm de ter o colete. Ó minha besta: o colete serve para ser visto quando se está a pé na via de rodagem ou na berma! Ou agora os peões também têm de ter colete reflector? Ou o colete serve para sinalizar acidentes para que os curiosos do costume possam perceber com antecedência que houve porrada e não percam pitada da acção? Sim, um gajo vem longe, se não topa que houve acidente, não trava e depois não consegue ver o sangue todo no chão.

02 setembro 2006

O Caso Mateus

É o assunto do momento e por isso resolvi fazer um ponto da situação. Este post é a minha forma de ver o caso. Não disponho de toda a informação, por isso posso ter uma ideia errada de alguns (ou de todos) os aspectos deste caos. De qualquer forma, aqui fica a minha opinião:

1. O Lixa contratou o jogador Mateus, um angolano, oferecendo-lhe um contrato de amador. Para que a coisa funcionasse, fizeram o seguinte: fizeram-lhe um contrato de porteiro ou coisa equivalente, para ele ter autorização de residência, e o Mateus jogava futebol no Lixa, beneficiando do estatuto de amador. A jogada é interessante e traz importantes benefícios fiscais ao clube e ao jogador. Numa visão mais errr.... nefasta para os interesses do Lixa, pode falar-se de evasão fiscal e fraude, mas isso é outra história.

2. O Gil Vicente contrata o Mateus e tenta inscrevê-lo como profissional, em Janeiro de 2006. Acontece que à luz dos regulamentos um jogador não pode na mesma época jogar como amador e como profissional. A inscrição é recusada na Liga; o Gil Vicente recorre para a FPF e o recurso é recusado. A FPF envia um fax (o famoso fax) ao Gil Vicente a dizer que, para defender os seus interesses deve a parte lesada recorrer junto das instâncias judiciais, ou coisa no género.

3. O Gil Vicente interpreta esta história da seguinte forma: bora lá recorrer para conseguir inscrever o Mateus. Pois... eu interpreto a história de outra forma: o Gil Vicente foi lesado, sim, mas na transferência do Mateus. Como não o pode inscrever, foi lesado no negócio de transferência, por isso pode e deve recorrer para exigir do Lixa a compensação pelos prejuizos. Depois de ouvir o presidente do Gil Vicente a falar na televisão percebo as suas dificuldades de interpretação. Mas isso é outra história, e não vou elaborar sobre o assunto porque não me quero arriscar a um processo por difamação ;)

4. A lei de bases do desporto e os regulamentos impedem o recurso a tribunais civis para resolver questões desportivas. O Gil Vicente alega que esta questão é administrativa e tem a ver com a validade ou não do contrato de trabalho que tem com o jogador Mateus. Eu interpreto da seguinte forma: o que é administrativo é o negócio de transferência e a fraude possivelmente cometida pelo Lixa. Apesar disso o Gil Vicente consegue obter uma decisão judicial favorável o que lhe permite inscrever o jogador como profissional. Sinceramente, não percebo esta decisão. A lei de bases ou os regulamentos (não conheço os textos, somente o que tem sido dito por juristas e jornalistas desportivos) dizem que um jogador não pode passar de amador a profissional a meio da época. Mais! Parece que o Mateus era profissional há já alguns anos e de repente passou a amador. Parece-me que aqui há gato, mas é com o Lixa.

5. O Mateus é inscrito (que remédio) por causa da decisão do Tribunal Administrativo do Porto. É usado no campeonato e a coisa fica assim.

6. O Belenenses desce, o Gil Vicente mantém-se na I Liga e o Belenenses protesta a utilização do Mateus.

7. A Liga (e a Federação) num processo rodeado de tricas e fundamentações que até eu (que não percebo nada de leis) acho no mínimo esquisitas, para não dizer completamente erradas e nalguns pontos ilegais, resolvem castigar o Gil Vicente e despromovê-lo, por ter recorrido aos tribunais comuns num caso em que não o podia fazer. Isto vale ao Belenenses a permanência. Também não se percebe isto: se o Gil Vicente fosse condenado por usar irregularmente um jogador, tudo bem, desce o Gil Vicente, fica o Belenenses; mas isto não pode ser feito porque o jogador foi, de facto, inscrito. Portanto, o Gil Vicente é castigado por recorrer aos tribunais civis. Ou seja, não é uma penalização no âmbito do Campeonato, é uma penalização disciplinar. Como tal, deve descer o Belenenses (porque ficou nos últimos 4 lugares), desce o Gil Vicente (por castigo) e sobe à I Liga o Leixões por ter sido o melhor não promovido da II Liga.

8. O Leixões também percebeu isto e recoreu; mas já lá vamos; o Gil Vicente recorre ao Tribunal Administrativo de Lisboa (mais uma vez, um recurso a um tribunal civil de uma decisão disciplinar de uma instância desportiva); o Gil Vicente interpõe uma providência cautelar para suspender a decisão e o Tribunal aceita. Note-se: o tribunal aceita a suspensão enquanto decide se: (a) tem competência para julgar o caso e (b) tendo competência para julgar, decide a favor do Gil Vicente ou não; mas, ao suspender a decisão não suspende os jogos, o que é esquisito: e se o tribunal achasse que não tinha competência? O Benfica depois de jogar com o Gil Vicente teria de ir jogar com o Belenenses?

9. A Liga resolve escrever direito por linhas tortas: suspende os jogos em questão. Borra a pintura toda ao justificar isto dizendo que tem de apreciar o recurso interposto pelo Leixões. Ora, se devido à decisão judicial a descida do Gil Vicente está suspensa, não há lugar a decidir quem é que fica, se o Belenenses, se o Leixões. Para já, fica o Gil Vicente. Quanto muito, a justificação seria: para não penalizar outros clubes e enquanto não houver uma sentença transitada em julgado, os jogos em questão são suspensos.

10. o Gil Vicente acha que uma suspensão da decisão é uma sentença final. Vai daí, resolve comparecer para um jogo que tinha sido suspenso!

11. O Benfica também contribuiu para a entropia: na sexta feira diz que joga com os 3 adversários se for preciso, no sábado diz que afinal não joga; era escusado.

12. Chegámos à semana passada e a FPF castiga o Gil Vicente e suspende-o de todas as competições. Falta a Liga fazer o mesmo e suspender o Gil Vicente, o que era muito bem feito.

13. A FIFA resolveu suspender o futebol português se o Gil Vicente não desistir do recurso. Ora, depois de ver as entrevistas do Presidente do Gil Vicente tá-me cá a parecer que vamos ficar 1 ano sem selecção e sem competições europeias. Note-se que ninguém pode obrigar o Gil Vicente a desistir; e se o Gil Vicente não desistir, pagam os outros todos.

14. A FIFA também anda a fazer merda: o recurso a tribunais é um direito de qualquer cidadão e qualquer organização; o futebol é subordinado à lei portuguesa; se o Gil Vicente resolve recorrer, é problema deles. Mas não pode ser pedido à FPF e à Liga mais que um castigo ao Gil Vicente. A FPF e a Liga arriscam-se a castigos por causa de atitudes do Gil Vicente pelas quais não são responsáveis. Se suspenderem o futebol português (o que foi decidido mas a decisão está suspensa até dia 14), arriscam-se a um novo caso Bosman.


Então, no meio disto tudo, quem tem razões de queixa de quem?

a) o Gil Vicente e o Mateus têm razões de queixa do Lixa. Recorram aos tribunais para exigir compensações do Lixa.
b) o Estado também me parece que tem razões de queixa do Lixa e deve investigar o caso para ver se houve ou não evasão fiscal.
c) o Ministério Público também pode (e deve) investigar o caso a ver se há matéria para processo-crime; pode ter havido burla, falsificação de documentos, e muitas outras coisas.
d) o Belenenses tem razões de queixa da Liga por ter aceite a inscrição; contudo, a Liga só o fez por ordem de um tribunal, pelo que o Belenenses só pode pedir indemnizações ao estado
e) a Liga tem razões de queixa dos tribunais, pelo que pode pedir uma indemnização ao estado; afinal, más decisões dos tribunais deixaram a Liga no meio de um embróglio complicado e com eventuais prejuizos avultados
f) a FPF tem razões de queixa da Liga por ter deixado o caso chegar ao ponto em que chegou pelo que pode (e deve) fazer pressão junto do Governo para que a lei mude e a FPF passe a ter mais poder
g) A Selecção Nacional e os clubes nas competições europeias têm razões de queixa do Gil Vicente; se a suspensão for avante podem (e devem!) pedir indemnizações aos Gil Vicente pelos prejuizos. Ai, ai, ai, que o Gil Vicente vai à falência.
h) os espectadores e adeptos, todos os clubes da liga e demais intervenientes têm razões de queixa dos órgãos directivos da Liga. Esses senhores deviam demitir-se todos e toda a gente que teve algo a ver com o processo não devia continuar à frente dos destinos do futebol (muitos vão-se manter nos novos órgãos recentemente eleitos).
i) O Governo, achando que há interesse público na resolução do caso tem razões de queixa da Liga. Pode (e deve) instaurar queixas (nalguns casos talvez queixas-crime) contra os dirigentes que deixaram a coisa chegar ao ponto a que chegaram.

E no fim de contas, o Leixões deve ficar na I Liga, o Belenenses deve ficar na II Liga (com muita pena minha) e o Gil Vicente deve, na minha opinião, ser suspenso de TODAS as competições e no fim da suspensão, retomar a competição ao nível dos distritais.


E que de uma vez por todas esta gente se convença que as coisas têm de se resolver depressa, não é ao fim de 9 meses que se chega a uma decisão final!