09 outubro 2006

A minha primeira polémica bloguística

Apesar de não o querer, porque sou um moço recatado e pouco dado ao protagonismo, vou-me meter ao barulho!

Apanhei a história já a meio, mas mesmo assim, reservo-me o direito de ter uma opinião. Correcta, como sempre, e bem fundamentada, se me apetecer.

Com um bocado de sorte saco 2 linkzitos e tenho mais um boom de visitantes, que tanto jeito me dão se quero manter vivas as esperanças de um dia o blog virar livro (afinal, é moda e eu não gosto de ficar atrás...).

Aviso desde já que o post é ENORME. Era maior mas fiz-lhe um desconto de 50%. Mas também, percebe-se. Os visados andam nesta discussão há semanas e multiplicam-se em posts e comentários e respostas. Eu não, sou um recém-chegado a este lamacento recinto de "troca de ideias".

Então, cá vai disto: não sei quem começou, nem me interessa, mas já parecem os putos quando desatam à porrada. O Blasfémias (quem mais?) e o Glória Fácil (quem mais, também?) andam à porrada por causa dos parques de estacionamento da baixa. Uns querem mais parques de estacionamento subterrâneos, outros perguntam qual a taxa de ocupação dos parques existentes. E andamos nisto. De bitaite em bitaite, até se fazem comparações entre o número de parques de estacionamento de Barcelona e de Lisboa (claro que é uma comparação por número de parques, não diz quantos são os lugares, e isso, parece-me, é um pormenor importantezito). Outros disparam números de 30% de estacionamento ilícito em cima de passeios e a estorvar eléctricos e mais não sei o quê.

Ora bem, bora lá pôr ordem na casa, que esta gente que tem muito tempo de antena e apesar de serem todos muito cultos e muito inteligentes e muito importantes às vezes metem os pés pelas mãos e só dizem merda. E, perdoem-me a ingerência, eu tenho tanto ou mais direito de dizer merda que V. Exas., e, se calhar, tenho mais experiência no assunto.

Para já, acho engrçada a ideia de comparar Lisboa com Madrid ou Barcelona. Madrid tem 5 milhões de habitantes, Barcelona tem 4, Lisboa tem 3 na área metropolitana toda (que inclui V. F. Xira e Setúbal), cerca de 600 mil habitantes e talvez 1 milhão e meio de pessoas que nela trabalham. Vai daí, qualquer comparação deve vir com a escala ao lado (assim como os mapas, certo?).

Se vamos por aí, porque não comparar as 50 e tal (não me apeteceu contá-las, se calhar são menos de 50) estações de metro de Lisboa com as mais de 250 estações de metro de Paris? Afinal, Paris é uma cidade comparável a Lisboa: tem 8 milhões de habitantes, mais coisa, menos coisa.

Do outro lado, argumenta-se que nas outras cidades (leia-se outros países) as pessoas não usam tanto o carro, usam mais transportes públicos. O que é verdade. Mas é igualmente verdade que nos outros países a rede de transportes públicos é melhor, maior, mais rápida, mais abrangente e mais eficaz que a de Lisboa. E também mais cara.

O que estes senhores (e senhoras) se esquecem é que não estamos a discutir Paris, Londres, Madrid, Barcelona, Estocolmo ou Oslo. Estamos a discutir LISBOA.

E Lisboa tem algumas particularidades importantes:
  • Ao contrário da maioria das cidades europeias, Lisboa tem um relevo acidentado que dificulta a utilização de meios de transporte como a bicicleta, muito comum noutras cidades (não tanto em Espanha, contudo) - não que os tugas usassem a bike, mas a desculpa serve perfeitamente.
  • Ao contrário da maioria das cidades europeias Lisboa cresceu sem rei nem roque, sem planos, sem qualquer tipo de visão de futuro - o último a planear as coisas em condições foi o Marquês de Pombal, já lá vão uns anitos.
  • Ao contrário da maioria das cidades europeias Lisboa é habitada, maioritariamente, por portugueses - e aqui reside talvez a parte mais importante do problema...


O Tuga não paga. PONTO FINAL. Não paga e pronto. Não paga porque não tem de pagar. E se lhe tentam exigir o pagamento ele berra, chora, grita, insulta e continua a NÃO PAGAR.

No outro dia, no Parque das Nações (zona moderna, com garagens e parques de estacionamento q.b.) reparei que havia carros estacionados à superfície em:
  • Rotundas (ao LONGO da rotunda)
  • Passadeiras
  • Paragens de autocarros
  • Semáforos
  • Passeios

Não é decerto pela falta de lugares legais de estacionamento que tal acontece. É apenas porque estacionar no meio da estrada é à borla e estacionar no parque é a pagantes. Os parques na gare do Oriente, subterrâneo, e os restantes parques pagos à superfícies estão quase sempre às moscas (ok, nem é tanto assim; mas não faltam lugares disponíveis, ou alguma vez aconteceu a alguém não encontrar lugar?). Não é por falta de estacionamento, é por falta de civismo (e, obviamente, de fiscalização) que estas coisas acontecem. No Colombo o panorama é idêntico: há sempre quilos de lugares disponíveis no parque subterrâneo (o piso -2 está quase sempre semi-vazio); mas à superfície o caos mantém-se, só faltam carros uns em cima dos outros.

Voltando ao caso, tava eu na zona do Parque das Nações, ia ao Hospital da CUF (sim, tou bem de saúde, obrigado por perguntarem). Procurei lugar, e como não havia fui andando em direcção ao parque pago. À minha frente iam 2 outros carros que também queriam estacionar. Quando viram que estavam na entrada de um parque pago... fizeram inversão de marcha. Provavelmente foram deixar o carro em cima de um passeio qualquer ou a estorvar uma faixa de rodagem. Isto tudo para não pagar 20 cêntimos por quarto de hora. E que fossem 5 cêntimos! Continua a ser mais caro que deixar o carro mal estacionado!

Depois, temos a questão dos transportes públicos, a malta deve usar os transportes, haverá ou não transportes suficientes, porque é que as pessoas insistem em levar o carro?

Bem, tendo em conta que na zona da Baixa há 4 estações de Metro de 2 linhas diferentes e uns 15 autocarros, não deve ser por falta de transportes. Se calhar é por excesso; e mesmo em situações tipo jogo do Benfica, havendo metro da Linha azul que praticamente nos leva até à porta do estádio e autocarros q.b., continua a haver carros estacionados desde a Luz até Alvalade ao longo da 2ª circular (se o jogo for um Benfica-Sporting só de olhar para os carros estacionados nunca sei em que estádio é o jogo).

O Tuga vai de carro. E não paga estacionamento a menos que o obriguem. Esta é a situação. Contribuam para resolver a questão que temos e não se limitem à crítica do que não se faz para resolver o problema. Podíamos ficar meses a discutir quem tem razão, mas infelizmente, nenhum dos dois a tem. Se querem discutir o trânsito e o estacionamento em Lisboa, façam-no sem esquecer que é uma situação portuguesa, provocada em Portugal e, acima de tudo, por portugueses.

22 comentários:

Anónimo disse...

Tu estás em vantagem porque estás sempre mt melhor informado...sobre tudo. Ou seja, mandas bitaites fundamentados. Seja qual for o tema, lá estás tu. E a capacidade que tens de te debruçares durante linhas e linhas é incrivel.
Davas um óptimo comentador televisivo e cá para mim destronavas o Marcelo e tiravas audiências à Floribela, essa pérola Nacional.
Venha o livro do Ó faxavor.
Quero um autografado. ;)

Nelson disse...

Naaaaaa... o Marcelo só dorme 4h por dia e farta-se de ler livros e jornais. Não tenho pedalada.

Quanto à Floribela, duvido que os espectadores da Floribela apreciem o meu estilo ;)

Mónica disse...

e havia tanto para dizer sobre estacionamentos...mas pronto já vi que és mestrado no assunto :-)

Filipe Moura disse...

A tua primeira polémica bloguística... com blogues com mais de mil visitas por dia! Agora por teres sido linkado pela tua amiga trabalhadora de sexo, já julgas que podes desprezar assim aquele que há mais tempo tem polémicas contigo. Mas deixa estar, que mais dois ou três dias e voltas a ter uma média de visitas inferior à minha.

Filipe Moura disse...

A não ser que a f. ou o jcd te respondam, claro...

Nelson disse...

Monica: tanto para dizer, tão pouco tempo. Mas não, o mestrado é em Matemática, não em estacionamento (e ainda não está acabado)

Filipe: não podia tar-me mais a cagar para isso tudo. Por acaso o que me fez mandar a piada dos links não foi o link d'A tua amiga. Foi mais a tua recente (e razoavelmente despropositada) polémica sobre a Bomba Inteligente. Mas pronto, leva lá a bicicleta. E a "polémica bloguística" era mais uma piada a ti, mais que uma provocação aos blogs em causa que, mesmo que reparem que foram linkados, dificilmente se darão ao trabalho de me incluir nas suas "tertúlias".

Quanto ao terem mais de 1000 visitas diárias, wow, I'm impressed. O blog d'A tua amiga nos tempos áureos (antes das suas aventuras alfacinhas de Verão, quando era actualizado com frequência com histórias cabeludas) andava pelas 3 mil. o Hi5Porcas tem umas 17 mil. O primeiro blog "sério" da lista anda pelas 5 mil.

O que a malta quer é copos! Tá-se tudo a cagar para gente com egos grandes, muitos pergaminhos e soluções para todos os problemas da humanidade que começam por negar as soluções propostas por outros.

Filipe Moura disse...

A polémica sobre a Bomba Inteligente não é assim tão recente (praí dois meses), e se te parece despropositada é porque nunca levaste com bocas da senhora.
Quanto ao número de visitas, fazes muito bem em não lhe dar importância excessiva. Eu também não dou (dou alguma, isso admito, mas quer dizer muito pouco). Até porque é relativo: o Afixe, um blogue inactivo há quase um ano, tem centenas de visitas diárias. Tudo via google, à procura de imagens...
Fazes muito bem em não dar crédito a pessoas com egos inchados. Para egos inchados já nos basta o Alonso.

Nelson disse...

Já cá faltava a piadinha à F1...

Antes de começares com os argumentos "do costume", o motor partido deste domingo fica pelo motor partido em Monza pelo Alonso.

O campeonato deste ano fica bem entregue. Pelo menos fica melhor que o do ano passado em que continuo a achar que o melhor piloto foi de longe o Kimi. Tal como já tinha sido em 2003.

Sim, o Alonso tem um egozito um bocado p'ró grande, mas naquele desporto... quem não tem?

Eu meço os egos da F1 em Rons (unidade definida com base no ego do Ron Dennis, patrão da Maclaren).

Menos de 0,3 Rons: ego muito pequeno para F1
Entre de 0,3 e 0,5 Rons: tá bom.
Entre 0,5 e 0,8 Rons: ares de primadona, caprichoso, com um ego do tamanho de uma motor-home.
0,8 a 1 Rons: ego do tamanho de um circuito. Dá jeito ter uma dúzia de gajos desses na F1 (entre patrões de equipa, engenheiros, pilotos, etc.), dão piada à coisa.
1 Ron ou mais: Ego do tamanho do mundo. Na F1 só há lugar para três desses: o próprio Ron Dennis, o Max Mosley patrão da FIA e o Bernie Ecclestone, o "dono" da F1.

O Schumacher tem 0,9 a 0,95 Rons (depende da classificação), o Alonso tem 0,8 Rons. O Kimi terá perto de 0,99 Rons. Como comparação, o Mourinho tem aproximadamente 1 Ron.

Zé Bastos disse...

o texto é pouco comprido é...vou imprimi-lo e amanhã leio-o na viagem de comboio!!!

Nelson disse...

às vezes estico-me...

AEnima disse...

Nelson, agora muito a serio:

Eu vim ca parar de facto atravez de um link do "a tua amiga". Conheci os 2 blogs no mesmo dia. Com o dela, ri-me a perder durante duas horas, enquanto o lia. Com o teu, passei a vir ca todos os dias. Sobre ela tive pena, acho-a uma chavala triste, com uma historia de vida muito triste, como todas as que acabam na prostituicao. Sobre ti acho interessante ler o que tens para dizer sobre a vida e a sociedade, nao falas de pieguices, nao poes poemas (odeio poetas de casa de banho), etc.

E mesmo que ela leia isto e me mande para o caralho, quero la saber. Eh gaja de coragem, mas nao eh feliz. (ok, ela adora ser puta, blablabla, mas quem conhece a realidade de uma puta, sabe melhor). Acha que la porque fode mais que o resto do mundo, morreu um irmao, saiu de casa novinha, tem mais experiencia de vida. Ilusao. O povo quer mesmo circo. Ela da-lhe, e tira todo o proveito dele que pode. Acho mesmo que devia escolher um negocio e dedicar-se a promove-lo... eh excelente business woman. Ela da o "circo"... deixa a malta na expectativa de coisas interessantes ainda por contar, etc. E don't get me wrong, admiro a rapariga e a sua coragem de uma vida alternativa.

Eu venho ca porque gosto do que escreves, de como escreves e sobre o que escreves. Eh interessante e sem protagonismos estupidos de quem se acha com mais razao que outros so porque tem altos graus e escrevem maravilhosamente bem(embora acho que deves ser daqueles que pessoalmente eh um cadito sob por teres mais 2 neuronios que a media, mas isso eh pessoalmente, e nao me interessa o "pessoal" isso qdo leio um blog).

E mesmo picando-me e rindo-te das minhas palermices e notorias faltas de conhecimento em tantas areas, eu sinto que nao eh com escarnio. Eh um "convivio" saudavel e por isso volto para ler novas coisas no dia seguinte, ou simplesmente para ler a tua perspectiva sobre coisas que tb tenho opiniao propria.

Bjocas e keep up the good work.

PS - Li que estavas a tirar o mestrado em matematica... que programas usas para escrever matematica em word? Aquele simples math equation que o word tem so com os icons todos? Ou algo mais user-friendly e rapido de se escrever? Eh que perco a paciencia a passar demonstracoes em Word.

AEnima disse...

e sorry... eu as vezes tb me estico!

Nelson disse...

eh lá, AEnima! Esticanço brutal!

Faço os possíveis por agradar (e de preferência por me divertir no processo...)

O objectivo do Ó faxavor é mesmo esse! Não me pôr com ares de sabedor e salvador da pátria que para isso já há muitos. E espero bem ter mais que dois neurónios (funcionais) a mais que a média. Ou então que tenha subestimado a média humana! ;)

Quanto às equações em documentos...

Ora bem, o Word é para escrever cartas. Se forem simples e pequenas. Ou então para fazer documentos com aspecto espalhafatoso e pouca estrutura.

Para fazer matemática a sério uso (e toda a gente na matemática, física e também muitas outras áreas) LaTeX. LaTeX (pronuncia-se Lah-Tech, não é como os preservativos) é, mais ou menos, uma linguagem em que "programas" o teu documento. Dizes o que é um capítulo, o que é uma secção, o que é uma tabela e o que é uma equação. Não desenhas o que queres, programas o que queres. Ao contrário do Word dá um bocado de trabalho. Mas, ao contrário do Word, o LaTeX faz o que lhe mando, não o que lhe apetece.

Além disso, as equações ficam com um aspecto decente. Digamos que se uma equação num documento for uma obra de arte, LaTeX é um quadro de Mondrian e Word é uma pintura de Lascaux. Um destes dias mostro um ou dois exemplos, para comparar ;)

PS: deixa lá tar o esticanço. Este blog é só esticanços...

Nelson disse...

raios partam estes blogs que não admitem comentários... assim, tenho de responder no meu blog aos posts de terceiros...

Ó Senhora f.: para já, não me lembro de ter chamado palonço a ninguém; quanto muito, chamei chico esperto, convencido, ou arrogante; o que, nalguns casos será verdade, noutros não, a carapuça servirá a quem a enfiar.

Tentei manter-me mais ou menos numa de não concordar com nenhum e limitar-me a criticar ambos, o que é sem dúvida mais fácil num caso do que no outro. Penso que ao referir a alergia tuga ao estacionamento pago já me estou a denunciar um bocado e a indicar qual dos lados da questão me parece mais razoável. Mas pronto, tou a ver que não é só ao Filipe Moura que é preciso fazer um desenho de vez em quando.

Quanto ao "nunca antes ouvido", mil perdões pela impertinência de me meter no meio de tão doutos opinadores na nossa praça.

AEnima disse...

Nelson

"Currently, there are a couple of Stata programs that will generate LaTeX code for listing observations of a variable list."

Encontrei isto, o que me interessou mesmo muito porque eu uso Stata para fazer a parte de econometria.

As guidelines da universidade em relacao ah apresentacao do texto praticamente obrigam ao uso do word. Mas sera posivel escrever mat em latex e copy paste para word?

Ja tinha visto um chamado math magic mas custa entre 400 a 700 dolares e nao me deixa experimentar para eu ver se consigo utilizar o programa com mais rapidez do que o math equation do word.

Onde compro o Latex? Funciona em windows? Da para interligacoes com o microsoft office? quanto custa? quanto eh (em media) o tempo de aprendizagem para uso do programa? Tenho mil duvidas.

Se preferires tirar a discussao daqui, please usa correio_banal@hotmail.com
E tambem compreendo se nao tens tempo para responder. Eu sei como eu.

Obrigada mesmo!

Queiró disse...

Deixa só meter a colher...

O LaTeX é grátis =) para Windows podes instalar o MiKTeX, que é um compilador LaTeX gratuito e bastante porreiro, e usar o TeXnic Center ou o LyX para criar documentos de LaTeX (sendo que o segundo tem fama de ser mais simpático para principiantes).

E penso que não podes fazer copy paste, não. Geralmente, documentos LaTeX são compilados para pdf, e talvez possas copiar daí - mas não sei se vale a pena.

Uma coisa que funciona, no entanto, é escrever as tuas equações no Mathematica e fazer copy paste para Word. LaTeX é melhor, no entanto...

Nelson disse...

Obrigado pela colherada Queiró.

AEnima: faço minhas as palavras do Queiró. Eu uso MiKTeX e TeXnicCenter.

Para fazer LaTeX é preciso aprender uma linguagem que é pouco simpática para quem não é dado a essas coisas. Se queres uma coisa mais simpática (gente que usa TeX: deixem de ler AGORA), podes usar o Scientific WorkPlace, que é um meio caminho entre um editor "What You See Is What You Get" e LaTeX. O código fica horroroso, mas se não tencionares editar o código, funciona.

(quem usa TeX pode recomeçar a ler a partir DAQUI) As interligações LaTeX/MS Word são mais ou menos as mesmas que existem entre econometria e geometria diferencial (que é o que eu faço, mais ou menos...); ou seja, eu uso números e letras em fórmulas e em econometria também se usam essas coisas. Só que uma não tem absolutamente nada a ver com a outra. O Word e o LaTeX permitem escrever documentos e imprimi-los. Só que um não tem nada a ver com o outro. Copy&paste não funciona e nunca funcionará.

Se não tens o tempo necessário para explorar LaTeX e começar a fazer documentos em LaTeX, até porque as normas da tua faculdade "obrigam" a usar o Word, então, fica-te pelo Equation Editor. É horroroso, mas demora menos tempo.

Alternativamente, podes fazer um documento LaTeX só com as fórmulas, e continuar a fazer o texto em word. o LaTeX produz-te um PDF e podes copiar e colar no word como imagem SÓ a fórmula.

Nelson disse...

Errr... alguém se importa que eu feche os comentários deste post?

É que só 1 ou 2 é que tiveram algo a dizer sobre o assunto, e agora este post foi linkado por pessoas importantes, convém manter o tasco arrumado! ;)

Comentem noutros posts. Aqui convém dar um ar de intelectual.

TaniaRocha disse...

Mas, Nelson, falar de LaTeX dá-nos um ar imensamente intelectual! Afinal de contas, o intelectual (TM) deve ser doutor nalguma coisa... E se dos frequentadores habituais do teu humilde tasco (permite-me ;) ) apenas o Filipe (creio) é doutor, já uma série de nós somos quase-mestres ou quase-doutores, logo intelectuais (TM).

Foi pena não terem lido mais entradas do teu blogue, para perceberem o elevado cunho intelectual das nossas "conversas de café"! ;)

TaniaRocha disse...

Quanto ao problema do estacionamento em Lisboa, eu já contribuo para a sua resolução: não tenho carro.

Nelson disse...

Há mais doutores. Que eu conheça, há pelo menos mais 2. Mas devem ser uma dúzia, p'raí...

Diolindo Antunes disse...

unde fica a porta? isto é um subterrâneo? vai pra onde?
podiam acender a luz? Não? Porque?`
num paguei a conta? ai isso é que paguei! i paguei i paguei prontos!
Assim tá -se melhor! Obrigadus! Já agora onde fica a estação de metro mais próxima daqui? donde' daqui pá ! num vale começar outra vez!